RELAÇÕES ENTRE CRISES ECONÔMICAS E REFORMAS DO ENSINO MÉDIO NO BRASIL

Autores

  • Wesley Fernando de Andrade HILÁRIO Universidade Federal da Grande Dourados
  • Rosemeire de Lourdes Monteiro ZILIANI

Resumo

O texto explicita a relação das crises da economia brasileira com as reformas do Ensino Médio. Estabelece relações com duas reformas desse nível da escolarização, inscritas na Lei nº 9.394/1996 e na Lei nº 13.415/2017, apontando para a tríplice educação-vida-trabalho promovida por elas. A crise econômica pela qual o Brasil passou na década de 1990 e a crise de mesma ordem pela qual tem passado desde 2016 serviram como justificativas para a emergência das reformas em questão, e a escolarização média foi tratada em diferentes discursos como “a” solução para problemas que são históricos. A problematização realizada com base nos escritos de Michel Foucault e autores que discutem a relação educação-trabalho sinaliza que o programa de ambas reformas impulsiona a constituição de subjetividades que importam ao modelo neoliberal de sociedade que, potencialmente, se apresenta e se materializa no conjunto de práticas governamentais e de governo da população, constituindo sujeitos que se autorregulam segundo a lógica do neoliberalismo cada vez mais ascendente no Brasil. CAPES

Biografia do Autor

Wesley Fernando de Andrade HILÁRIO, Universidade Federal da Grande Dourados

Doutorando em Educação na Universidade Federal da Grande Dourados, mestre na mesma área e programa de pós-graduação, graduado em Letras pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul.

Downloads

Publicado

11/07/2021

Como Citar

HILÁRIO, W. F. de A., & ZILIANI, R. de L. M. (2021). RELAÇÕES ENTRE CRISES ECONÔMICAS E REFORMAS DO ENSINO MÉDIO NO BRASIL. ANAIS DO SEMINÁRIO FORMAÇÃO DOCENTE: INTERSECÇÃO ENTRE UNIVERSIDADE E ESCOLA, 4(4), P. 1–17. Recuperado de https://anaisonline.uems.br/index.php/seminarioformacaodocente/article/view/7512