O PROGRAMA NACIONAL DE ALFABETIZAÇÃO NA REFORMA AGRÁRIA (PRONERA) EM MATO GROSSO DO SUL E A CONTRIBUIÇÃO NA POLÍTICA DE FORMAÇÃO DOS CAMPONESES

Onivan de LIMA GOMES, Celeida Maria Costa de Souza e SILVA

Resumo


O presente artigo busca discutir a importância do Programa Nacional de Alfabetização na Reforma Agrária (PRONERA) em Mato Grosso do Sul e a contribuição na política de formação para os assentados. O texto resulta de uma pesquisa para dissertação, intitulada: “Política de formação de professores do campo: a Licenciatura em Ciências Sociais na Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) (2008-2012)”, apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado - da Universidade Católica Dom Bosco, vinculada à linha 1 “Política, Gestão e História da Educação” e ao Grupo de Pesquisa “Política de Formação e Trabalho Docente na Educação Básica (GEFORT), que está disponível no Banco de Dissertação e Teses da UCDB. Adotamos como procedimentos metodológicos, a pesquisa bibliográfica e a documental, além de entrevistas baseadas em questões semiestruturadas. Foram entrevistados a coordenadora da licenciatura, um professor do curso e dois integrantes de Movimentos Sociais, que participaram do processo de elaboração e implementação do curso da UFGD. Apresentam-se como aporte teórico: Alencar (2010), Arroyo (1999), Caldart (2008), Mészáros (2006), Molina (2005), dentre outros, que debatem sobre Políticas Educacionais, Educação do Campo e Movimentos Sociais. Os estudos e a pesquisa realizada permitem-nos afirmar que o PRONERA foi essencial para que o Governo Federal pudesse incorporar no ministério da Educação a Política de Formação da população camponesa, em específico os professores. Porém, não basta termos a legislação nacional, é importante em cada estado a articulação e o envolvimento da sociedade por meio dos movimentos sociais do campo em defesa da reforma agrária e em defesa da formação dos trabalhadores.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.