PAULO FREIRE E O PENSAMENTO DESCOLONIAL: um diálogo com as Artes Cênicas em sala de aula

Autores

Resumo

O presente trabalho consiste no diálogo que a autora estabelece entre a Pedagogia de Paulo Freire e a epistemologia descolonial desenvolvida por Walter Mignolo, trazendo para o campo das Artes Cênicas em seu relato de uma experiência com o PIBID/CNPq em seus primeiros anos de graduação. Em dezoito meses incluída no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência, a graduanda pôde identificar, com seu olhar de (futura)docente-artista-pesquisadora, quais foram as diferenças para os processos de ensino-aprendizagem em dança para alunos e alunas do 7º ano, na cidade de Campo Grande-MS quando mediados e mediadas com reproduções dos códigos de dança pré-estabelecidos e impostos por um discurso hegemônico globalizante e quando mediados e mediadas por uma perspectiva outra de entender e evidenciar as biogeografias  do aluno e da aluna para a experiência dessa linguagem em sala de aula. O estudo conta com as explanações de frustrações e potencialidades no ambiente escolar e como a Pedagogia do Oprimido e a proposta metodológica descolonial em diálogo proporcionam melhores possibilidades para a mediação de processos criativos dançantes para o alunado.

Biografia do Autor

Vitória PAVAN, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Graduanda do 4° ano do curso de licenciatura em Artes Cênicas da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. Experiência na docência com o Programa de Bolsas de Iniciação à Docência - PIBID - e bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica - PIBIC. Membro do grupo de pesquisa NAV(r)E - Núcleo de Artes Visuais em (re) Verificações Epistemológicas.

Marcos Antônio BESSA-OLIVEIRA, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Professor Efetivo da UEMS - Unidade Campo Grande - no Curso de Graduação em Artes Cênicas - da cadeira de Artes Visuais e Professor Permanente do PROFEDUC - Programa de Mestrado Profissional em Educação. É Membro Associado da ANPAP - Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas. É Artista Visual, Doutor em Artes Visuais - pela linha de pesquisa Fundamentos Teóricos - pelo IA-Unicamp. Coordena o NAV(r)E - Núcleo de Artes Visuais em (re)Verificações Epistemológicas. É Mestre em Estudos de Linguagens e Graduado em Artes Visuais - Licenciatura - Habilitação em Artes Plásticas pela UFMS. Desenvolveu pesquisas com Bolsas CAPES e PIBIC/CNPq no Doutorado, Mestrado e na Graduação. Desenvolve pesquisa vinculada ao NAV(r)E-UEMS/CNPq sobre a produção artística (PRÁTICA, PEDAGÓGICA E TEÓRICA) de Mato Grosso do Sul. É Editor-Assistente dos CADERNOS DE ESTUDOS CULTURAIS. É membro dos Grupos de Pesquisas: NECC-UFMS, Estudos Visuais - IA/UNICAMP e O processo identitário do indígena de Mato Grosso do Sul: análise documental e midiática da luta pela terra - UFMS. Tem livros e diversos artigos publicados sobre Clarice Lispector - pintora/escritora e sobre a produção artístico-plástica sul-mato-grossense em nível nacional e internacional. Tem experiência na área de Fundamentação Teórica em Artes Visuais, com ênfase em Artes Plásticas, no Ensino em Artes Visuais, Poéticas Artísticas, atuando principalmente nos temas: Estudos Visuais, Crítica Biográfica Cultural, Paisagens Biográficas, Pós-Colonialismo, Estudos Culturais, Memória e Arquivo Culturais, Identidade Cultural, Pesquisas em Artes Visuais, Teorias das Artes Visuais, História da Arte, Arte e Ensino, Literatura/Pintura e Organização de Exposições.

Downloads

Publicado

11/07/2021

Como Citar

PAVAN, V., & BESSA-OLIVEIRA, M. A. (2021). PAULO FREIRE E O PENSAMENTO DESCOLONIAL: um diálogo com as Artes Cênicas em sala de aula. ANAIS DO SEMINÁRIO FORMAÇÃO DOCENTE: INTERSECÇÃO ENTRE UNIVERSIDADE E ESCOLA, 4(4), p. 1–10. Recuperado de https://anaisonline.uems.br/index.php/seminarioformacaodocente/article/view/7433