LITERATURA INDÍGENA E SUAS PESPECTIVAS DE ENSINO: UMA LEITURA DE “CONTOS DA FLORESTA”, DE YAGUARÊ YAMÃ

Natacha Gomes de Paula, Paulo Henrique Pressotto

Resumo


Resumo: Por meio da literatura é possível visualizar vários aspectos e características de determinada cultura. Dessa forma, o artigo em questão, trará uma leitura de dois contos da obra literária indígena Contos da Floresta, de Yaguarê Yamã, buscando demonstrar seus principais sentidos e qual sua contribuição para a transmissão de conhecimento. Sendo uma narrativa de autoria indígena, sua proposta é propagar e disseminar outra visão a respeito dos povos indígenas que, durante anos, foram retratados com base em estereótipos e preconceitos. Além disso, essa literatura tem se concretizado no Brasil, é distribuída em inúmeras escolas por meio do programa PNBE (Programa Nacional Biblioteca na Escola) do Governo Federal. Assim, objetiva-se aqui trazer possibilidades de ensino/aprendizagem para esse tipo de textualidade, proporcionando aos alunos ferramentas para se aproximarem dessas culturas. A narrativa aqui analisada traz consigo a representação indígena tais quais seus conceitos e crenças, porque permite fazer diversas reflexões a partir de mitos e lendas que descrevem a essência do povo indígena, em especial da etnia Maraguá. Quanto à metodologia, recorreu-se a pesquisas bibliográficas de livros e teses, cujos temas estavam relacionados à literatura infantil em sala de aula, literatura indígena e educação, visando reunir os conceitos bases para a análise da obra.

 

Palavras-chave: Literatura infantil indígena. Yaguarê Yamã. Educação



Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.