PRÁTICAS LINGÜÍSTICAS DE SUJEITOS BILÍNGÜES NA ESCOLA ALZIRO LOPES

Daniele Barros da Silva, Onilda Sanches Nincao

Resumo


Esse trabalho buscou descrever e analisar as práticas lingüísticas de alunos indígenas Guarani na Escola Estadual Alziro Lopes, no município de Guia Lopes da Laguna. Esses alunos são oriundos de uma comunidade indígena Guarani sediada na rodovia entre Maracaju e Guia Lopes da Laguna. Dessa forma, a escola não é específica para a comunidade indígena citada, embora exista no Brasil uma nova política nacional de educação escolar indígena que reconhece o ensino bilíngüe para alunos indígenas. Por essa razão, é importante investigar como se comportam esses sujeitos bilíngües no contexto escolar apresentado, já que os
mesmos estão inseridos no contexto nacional, sendo a interculturalidade tomada como um princípio na convivência social. Para a coleta de dados foram utilizados três instrumentos: observações em sala de aula, aplicação de questionário a alunos e professores e entrevista. Os
resultados mostraram: a) existe uma interação entre as línguas portuguesa e guarani entre as crianças indígenas, porém, de forma bastante reservada, já que as mesmas se sentem discriminadas ao falarem sua língua materna; b) os professores consideram que o fato dos alunos serem bilíngües atrapalha seu aprendizado na escola e vêem nisso um problema. Porém, as pesquisas sobre bilingüismo e comportamento do sujeito bilíngüe mostram que o bilingüismo não é um problema, mas um contexto escolar enriquecedor, sendo necessários novos parâmetros para se avaliar alunos bilíngües. Dessa forma, conclui-se que é necessário investir na formação de professores no que se refere a seus conceitos sobre bilingüismo e sujeito bilíngüe.

Palavras-chave: indígena, bilingüismo, comportamento, ensino.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.