DA DIMENSÃO INFANTIL AO UNIVERSO INDÍGENA: UM ESTUDO DE COBRA NORATO

Autores

Resumo

Raul Bopp, poeta modernista, em “Cobra Norato: nheengatu da margem esquerda do Amazonas” trabalha a linguagem de maneira singular de modo a ressaltar a cultura brasileira. Ao utilizar, por exemplo, palavras no modo diminutivo, como observa Lígia Morrone Averbuck (1962), Bopp introduz uma característica da fala da população do Norte. Othon Moacyr Garcia escreve que empregando palavras de línguas indígenas, além de aproximar seu texto ao universo do país primitivo, reforça a ideia do movimento modernista, de olhar para o que temos. Othon destaca ainda o uso de onomatopeias para se referir aos sons da floresta, o fato de dar características humanas aos seres da natureza, e nos desperta para os recursos da língua que Bopp usa de modo a gerar diferentes intenções: desde a ideia de continuidade até o jogo de palavras para construir seu texto. Averbuck (1985), por sua vez, atenta para o uso de metáforas utilizadas por Bopp. Seguindo essa linha, o presente trabalho tem por objetivo estudar a linguagem e, com isso, demonstrar a importância dessa obra, que é considerada por diversos críticos como um dos marcos da Antropofagia.


PALAVRAS-CHAVE: Raul Bopp; Cobra Norato; Antropofagia; Linguagem.

Downloads

Publicado

11/08/2021

Como Citar

Salazar, K. F. de S., & Teixeira, M. V. (2021). DA DIMENSÃO INFANTIL AO UNIVERSO INDÍGENA: UM ESTUDO DE COBRA NORATO. VII SEMANA DE LETRAS - UEMS - UNIDADE DE JARDIM/MS. Recuperado de https://anaisonline.uems.br/index.php/semanadeletras/article/view/7535