OS ESTRUTURALISMOS DE FERNAND BRAUDEL E CLAUDE LÉVI-STRAUSS

Rodrigo Bianchini Cracco

Resumo


O artigo de Fernand Braudel “História e ciências sociais: a longa duração” pode ser encarado sob um duplo aspecto: o de manifesto do novo tempo da história e, por outro lado, uma resposta às investidas da antropologia frente à história pelo papel de hegemonia teórico-metodológica das ciências humanas. Podemos dizer que este artigo é uma resposta à publicação de Antropologia Estrutural, de Claude Lévi-Strauss. Assim como em Braudel, não é exatamente na época da publicação desta obra que Lévi-Strauss apresenta suas hipóteses sobre o tempo na história e antropologia: Antropologia Estrutural é uma coletânea de artigos já anteriormente publicados. Portanto, assim como Braudel já havia colocado em prática as novas divisões do tempo histórico que são sistematicamente expostas em 1958, Lévi-Strauss também já havia apresentado suas conclusões sobre o assunto. Deu-se, neste momento, um embate não mais aplicado dos métodos, mas sim um embate teórico entre antropologia e história.

Palavras-chave: História. Antropologia. Estruturalismo. Teoria. Metodologia.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN ELETRÔNICO: 2175-8719