LEI SECA: DIFERENTES OLHARES

Carina Maciel de Oliveira Silva, Marlon Leal Rodrigues

Resumo


A obediência ao discurso da Lei 11.705/08 fez com o hábito dos cidadãos brasileiros em relação à ingestão de bebida tornasse objeto de discursivização nos diversos segmentos sociais. Esse discurso legal traz à tona uma batalha entre o individual (liberdade) e o coletivo (direitos e deveres), representados na linguagem por meio dos dizeres proferidos por indivíduos que se constituem sujeitos no discurso e pelo discurso. Diante dessa disputa de interesses mediados pela linguagem este artigo pretende verificar os deslocamentos de sentidos que ocorrem nos discursos relacionados à Lei Seca e as diferentes concepções ideológicas que possibilitam esses deslocamentos de sentidos nos discursos de sujeitos que estão diretamente envolvidos no contexto social em que a Lei se faz presente. Para se alcançar o objetivo proposto, pretendemos analisar respostas dadas a um questionário por dois sujeitos que ocupam diferentes lugares sociais, pois sabemos que estes ao enunciarem deixam transparecer marcas ideológicas que são base na constituição do indivíduo em sujeito enunciador. Nessa análise utilizaremos como pressuposto teórico os fundamentos da Análise do Discurso de linha francesa, já que por meio dessa é possível articular língua, história, sujeito e discurso.

 

Palavras-chave: Lei Seca. Ideologia. sujeito.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN ELETRÔNICO: 2175-8719