ENEM: HETEROGENEIDADE NOS GÊNEROS DAS “SITUAÇÕES PROBLEMA”

Alexander Dias Feijó, Aline Saddi Chaves

Resumo


No caderno de provas do ENEM, na área das Linguagens, Códigos e outras tecnologias observa-se uma diversidade de gêneros discursivos introdutórios das questões, como poemas, artigos, peças publicitárias, entre outros. Esses gêneros têm origem nos usos concretos da língua/linguagem em suas respectivas esferas da atividade humana; nas práticas discursivas que nascem e se renovam sob o signo da diversidade e da heterogeneidade (BAKHTIN, 2003). Na prova do ENEM, esses gêneros são apresentados como textos motivadores de situações- problema, com características formais, composicionais e estilísticas peculiares. Neste artigo, problematizamos a relativa estabilização dos gêneros, compreendidos e mobilizados pelos conhecimentos das experiências sociais e do ensino e aprendizagem do destinatário (candidato) e/ou formalizados didaticamente na tradição da escolarização, ou ainda, pelo confrontamento do leitor (candidato), dentro das esferas sociais de atividade cotidianas experienciadas. A hipótese é de que o confrontamento com essas formas (relativamente) estabilizadas, relacionadas a uma situação de comunicação (a prova do ENEM), quando acrescidas do enunciado da questão promovam a perspectiva da intergenericidade. Assim, na situação específica de interação da prova, surge outro gênero: “a questão do ENEM”, que, mesmo estando relacionada a um processo seletivo, não se dissocia das práticas sociais em que surgiram os gêneros motivadores. O caderno de provas é suporte de heterogeneidade nas linguagens e códigos. A partir da proposta da ADD (Análise Dialógica do Discurso), são pertinentes as análises de interações verbais, das relações dialógicas e da alteridade ocorrida entre os participantes no processo.

 

PALAVRAS CHAVE: ENEM. Gêneros discursivos. Heterogeneidade. Intergenericidade.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.