O ENSINO DA LÍNGUA TERENA NO ESPAÇO/ TEMPO DE UMA “ESCOLA INDÍGENA” URBANA

Elson Sobrinho Marcos, Sônia Filiú Albuquerque Lima

Resumo


Este trabalho teve como objetivo descrever e analisar o contexto do ensino de Língua Terena  na escola Municipal Sulivan Silvestre Oliveira, localizada na comunidade indígena urbana Marçal de Souza, em Campo Grande, MS. A metodologia foi a revisão bibliográfica, levantamentos de relatos e a observação participante do pesquisador que atua como professor de Língua Terena nesse espaço escolar desde 2016. Destaca-se o fato de o professor precisar falar em Português, pois a maioria não entende a língua indígena ou muitos dos seus falantes parecem paulatinamente deixando sua Língua em desuso. Constata-se que existe um risco dessa língua se enfraquecer e até ser extinta, caso não haja efetivo empenho para seu fortalecimento. Este estudo contribui, dentro do campo teórico da Sociolinguística, com discussões no sentido de fortalecer e vir a contribuir na melhoria de ensino de línguas indígenas. Nas últimas décadas, o povo Terena tem intensificado o contato com os purutúye (não indígena), a maioria das famílias indígenas que vive em Campo Grande acaba não incentivando o uso da língua materna por seus filhos e netos, em meio à relação de poder da cultura dominante não indígena, vindo a absorver muito mais desta, em vez de valorizar seus aspectos históricos e preservar sua língua, como principal elemento de sua identidade.

 

Palavras-chave: Línguas Indígenas. Língua Terena. Ensino-aprendizagem.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.