A EDUCAÇÃO AMBIENTAL PÓS-COLONIAL E ECOLOGIA DE SABERES

Elisangela Castedo Maria do NASCIMENTO, Heitor Queiroz de MEDEIROS

Resumo


O Renascimento foi um movimento cultural de transição das tradições medievais para um mundo novo, inspirado na (antiguidade) cultura greco-romana e culminando na ruptura com o fanatismo religioso, se afastando de Deus e colocando homem no centro. As ideias do movimento humanista se tornaram o espírito do Renascimento gerando um grande avanço nas áreas das artes, literatura e ciências. Com o desenvolvimento da ciência moderna constrói-se a ideia de crescimento, de desenvolvimento. Acreditava-se na razão e no poder da ciência como resposta para todos os problemas da humanidade. A ciência teve seu apogeu no século XIX e início do século XX, com muitos avanços e sua aplicação prática na vida diária das pessoas por meio da tecnologia, mas é também no século XX que as consequências negativas apareceram afetando a qualidade de vida do ser humano, sendo chamados de problemas socioambientais, havendo necessidade de reavaliar as crenças da razão. O objetivo desse artigo foi compreender os tropeços da Ciência Moderna em relação ao meio ambiente e fazer o diálogo entre autores que podem contribuir para a construção de uma Educação Ambiental que valorize os conhecimentos das sociedades detentoras de conhecimentos tradicionais.

 

Palavras chave: Ciência moderna, natureza, saberes


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.