“JOVENS TRANS” E O DIREITO À EDUCAÇÃO: REFLEXÕES SOBRE A (NÃO)FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORAS/ES DA REDE PÚBLICA DE CORUMBÁ (MS)

Autores

  • Sanderson Fardim Fernandes Professor da Rede Pública de Educação da Cidade de Corumbá e Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Educação do Campus Pantanal da UFMS
  • Tiago Duque Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação do Campus Pantanal e do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Faculdade de Ciências Humanas da UFMS

Resumo

Esse artigo apresenta dados iniciais da pesquisa de mestrado em desenvolvimento “Jovens trans e as escolas públicas de Corumbá: ausências e permanências”. Esses dados trazem à tona o problema da falta de formação de professoras/es sobre o tema identidade de gênero e diversidade sexual, que é um dos fatores que refletem no abandono escolar das “jovens trans”. As experiências analisadas referem-se ao contexto fronteiriço Brasil-Bolívia, das escolas públicas de Corumbá/MS. A metodologia utilizada parte das minhas experiências de professor da rede pública de educação, bem como, dados das entrevistas realizadas para a pesquisa de mestrado citada anteriormente. Do ponto de vista teórico-metodológico, as análises seguem uma rede de autoras/es pós-estruturalistas – feministas, foucaultianos/as e, especialmente, queers.

 

Palavras-chave: Currículo. Formação de Professores. Abandono escolar. Jovens trans.

Downloads

Publicado

05/06/2018

Como Citar

Fernandes, S. F., & Duque, T. (2018). “JOVENS TRANS” E O DIREITO À EDUCAÇÃO: REFLEXÕES SOBRE A (NÃO)FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORAS/ES DA REDE PÚBLICA DE CORUMBÁ (MS). JORNADA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO E LINGUAGEM/ENCONTRO DO PROFEDUC E PROFLETRAS/JORNADA DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO DO SUL, 1(1). Recuperado de https://anaisonline.uems.br/index.php/jornadaeducacao/article/view/4857