PRODUÇÃO DE MUDAS DE ESPÉCIES NATIVAS NA ESCOLA: UMA APROXIMAÇÃO ENTRE EDUCAÇÃO AMBIENTAL E ESTUDANTES

Autores

  • Maria Conceição de Souza Silva
  • Norilda Siqueira de Oliveira
  • Paulo Sérgio Marcon
  • Angela Pereira de Novais Rodrigues
  • Fernanda Cassari Oliveira
  • Patrícia Casado do Nascimento Nunes

Resumo

A mata ciliar se refere aos conjuntos de vegetações que se desenvolvem ao longo das margens dos
corpos d’água como os rios, brejos, lagos, nascentes, que em conjunto com o solo, os animais e o
próprio corpo d’água forma o ambiente ciliar. Sua função é proteger os recursos hídricos evitando
diversos problemas como assoreamento, desta forma, tem importância significativa para todas as
pessoas. A vegetação presente na mata ciliar pode ser de diferentes tipos dependendo da variação de
espécies que compõem cada bioma, de acordo com cada região. A fragmentação dos biomas no
Brasil é intensa devido ao cultivo de monoculturas, pecuária, demais atividades agrícolas,
mineração e expansão urbana que acarreta a destruição de grandes florestas e também da mata ciliar
no entorno de corpos d´água. Com o objetivo de contribuir com a preservação do meio ambiente e
com a recuperação de matas ciliares no município de Ivinhema-MS, professores de Ciências da
Natureza da Escola Estadual Reynaldo Massi desenvolvem desde 2017 um projeto com alunos do
ensino fundamental e médio, promovendo a produção de mudas de espécies nativas no viveiro da
escola e plantio dessas mudas em algumas áreas do município como forma de recuperar ou
reconstituir a mata ciliar. Por meio de questionário semiestruturado destinado a moradores
pioneiros, associado a pesquisas bibliográficas, foi feito um levantamento das espécies nativas da
região. Em aulas de campo realizam-se coleta direta de sementes, em aulas práticas no laboratório e
no viveiro da escola as sementes são preparadas, plantadas e recebem os devidos cuidados até que
as mudas atinjam o porte ideal para plantio. Nessas aulas se aprende, principalmente com os erros,
taxas de germinação, escarificação mecânica, quebras de dormência, tipos de substrato, quantidade
de água e incidência solar, todos esses fatores são discutidos e ensinados, sendo fatores limitantes
na quantidade e na qualidade das mudas produzidas na escola. Além das doações de mudas que são
frequentes, ocorrem as aulas de campo para plantio, até o presente momento foram realizadas duas,
envolvendo alunos de diferentes turmas. Um procedimento muito importante foi levar os estudantes
ao local do plantio para acompanhar o desenvolvimento das mudas, desta forma fazer as anotações,
medir as mudas, fazer o coroamento e se necessário o replantio nos locais onde as mudas foram
perdidas. Com essas ações voltadas à prática de Educação Ambiental através de aulas teóricas,
práticas, pesquisas, atividades de campo, dentre outras, instigamos o interesse, a curiosidade, a
criticidade e a consciência ambiental, formando assim, estudantes emancipados, críticos e
preocupados com a qualidade ambiental.

Downloads

Publicado

26/11/2019

Como Citar

Silva, M. C. de S., Oliveira, N. S. de, Marcon, P. S., Rodrigues, A. P. de N., Oliveira, F. C., & Nunes, P. C. do N. (2019). PRODUÇÃO DE MUDAS DE ESPÉCIES NATIVAS NA ESCOLA: UMA APROXIMAÇÃO ENTRE EDUCAÇÃO AMBIENTAL E ESTUDANTES. ANAIS DO EGRAD, 6(9). Recuperado de https://anaisonline.uems.br/index.php/egrad/article/view/6011

Edição

Seção

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)