RELAÇÃO DA TAXA DE PRENHEZ DE VACAS E NOVILHAS DA RAÇÃ GIROLANDO DA PROPRIEDADE ASSISTIDA PELO PROGRAMA RIO DE LEITE

Autores

  • Micheli Stéfani Bertuci Silva
  • Wallery Coroliny Costa Costa
  • Silvio da Silva Oliveira
  • Joaquim Basilio Angelo Souza
  • Fabiana de Andrade Sterza-Melo
  • Andre Rozemberg Peixoto2 Simões

Resumo

A pecuária leiteira é uma das principais fontes de renda para pequenos produtores rurais, porém observa-se uma desorganização na gestão destas propriedades, devido à falta de informações sobre manejo adequado dos animais. A higienização do úbere do animal e das instalações da propriedade, assim como o material de ordenha (seja ela manual ou mecânica), tem influência na qualidade do leite obtido, com isso podendo ter grandes percas relacionadas com a mastite ocasionado o descarte do leite, gastos com medicamentos, perda funcional da glândula mamaria e até mesmo a morte do animal. Dessa forma o objetivo desse projeto foi controlar a produção de leite individualizada da propriedade assistida pelo programa Rio de Leite, bem como acompanhar a incidência de mastite clínica e subclínica do rebanho. O trabalho foi desenvolvido em uma das propriedades de leite, acompanhadas pelo Programa Rio de Leite no município de Aquidauana, onde foi realizada a pesagem de leite individualizada, exame da caneca de fundo preto e da raquete para controle de mastite mensalmente. Ao longo do ano foram realizadas 7 inseminações artificiais, sendo 3 fêmeas com incidência de mastite subclínica, e 5 sem incidência da mastite subclínica, obtendo uma taxa de 28% da concepção total (7/2), a taxa de prenhez de vacas com mastites foi de 0% (3/0), e para vacas sem mastites 50% (4/2). A taxa de prenhez avaliada durante o protocolo, entre os grupos com e sem mastite subclinica, ao fazer uma comparação pode-se observar que a mastite por ser uma inflamação da glândula mamaria tem interferência na prenhez. A mastite observada não diferiu entre os graus de inflamação, mas o produtor era orientado constantemente sobre os cuidados para obter um controle, impedindo o avanço da mastite como há interferência na qualidade do leite e na taxa de prenhez. Isso demonstra a eficiência da assistência técnica em auxiliar o pequeno produtor a ter uma melhor produtividade e lucratividade.

Downloads

Publicado

01/04/2020

Como Citar

Silva, M. S. B., Costa, W. C. C., Oliveira, S. da S., Souza, J. B. A., Sterza-Melo, F. de A., & Simões, A. R. P. (2020). RELAÇÃO DA TAXA DE PRENHEZ DE VACAS E NOVILHAS DA RAÇÃ GIROLANDO DA PROPRIEDADE ASSISTIDA PELO PROGRAMA RIO DE LEITE. ANAIS DO SEMEX, (12). Recuperado de https://anaisonline.uems.br/index.php/semex/article/view/6870

Edição

Seção

TECNOLOGIA E PRODUÇÃO

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)