PROMOÇÃO DE HÁBITOS DE VIDA SAUDÁVEL E CULTURAL EM CRIANÇAS ESCOLARES INDÍGENAS TERENA

Autores

  • Daniel Lucas Lopes Freitas Villalba
  • Leticia de Abreu
  • Rayra Jordânia Freire Aquino
  • Fatima Alice Aguiar Quadros

Resumo

Segundo o Ministério da Saúde, 18,9% da população Brasileira apresentava-se com sobrepeso, dado que cresceu 60 % desde 2006. Esses índices estão presentes também na população indígena, na qual o sobrepeso e a obesidade apresentam-se crescentes, tanto em jovens quanto em adultos, além de doenças crônicas relacionadas ao excesso de peso, como Hipertensão Arterial e Diabetes Mellitus. A partir dessa problemática, foi possível identificar o quanto a população indígena sofre com a má nutrição, gerada por implementação de alimentos industrializados, com alto índice glicêmico e baixo valor nutritivo em sua dieta. O projeto “Promoção de hábitos de vida saudável e cultural em crianças escolares indígenas Terena” teve como objetivo avaliar a situação nutricional das crianças terenas, de modo a promover uma melhoria em sua qualidade de vida, sem, contudo, entrar em conflito com sua cultura e costumes. A metodologia utilizada para realizar tal intuito foi a prática da glicemia capilar, medidas antropométricas, ectoscopia, e posteriormente a aplicação do arco de Maguerez. Em um primeiro momento, realizou-se o levantamento do conhecimento prévio sobre a temática do projeto com os participantes, de forma que trouxe uma grande aproximação social entre o meio acadêmico, a comunidade indígena e a escola. No segundo momento, houve a coleta dos dados citados, de maneira que alertou sobre os níveis de obesidade, hiperglicemia e desnutrição. Por último, foi realizada a educação em saúde, por meio de palestra ao público-alvo, juntamente com a dinâmica de confecção de desenhos, de modo que se teve a resposta do aprendizado dessa ação. No total da amostra de 30 participantes, obteve-se 4 obesos (13,33%) e 14 sobrepesos (46,66%), o que torna nítida a situação nutricional, porque mais da metade das crianças participantes se encontram em um estado de saúde de risco. O restante dos participantes, 12 (40%) classificaram-se como eutróficos em seu IMC. No quesito ectoscopia, todos apresentaram aspectos bons no quesito hidratação. Entretanto, no quesito nutrição, 4 (13,33%) apresentam grande quantidade de tecido subcutâneo, porém bem distribuído. Em outros quesitos avaliativos da nutrição, como fácies, tonicidade muscular e elasticidade da pele, apresentaram-se todos nos parâmetros da normalidade. Por fim, o estudo possibilitou o diálogo entre estudantes e a população sobre o que seriam hábitos de vida saldáveis, bem como quais as suas importâncias, além de possibilitar esclarecimento de dúvidas e troca de informações, a partir de uma linguagem simples e acessível à faixa etária analisada. A ação possibilitou um maior conhecimento sobre a comunidade indígena terena, verificando a necessidade de mudanças de hábitos, restringindo alimentos de alto índice glicêmico e sedentarismo. Além disso, as ações educativas apresentaram resultados evidenciados pela dinâmica de diálogo com retorno positivo das crianças e por meio dos seus desenhos.

Downloads

Publicado

01/04/2020

Como Citar

Villalba, D. L. L. F., Abreu, L. de, Aquino, R. J. F., & Quadros, F. A. A. (2020). PROMOÇÃO DE HÁBITOS DE VIDA SAUDÁVEL E CULTURAL EM CRIANÇAS ESCOLARES INDÍGENAS TERENA. ANAIS DO SEMEX, (12). Recuperado de https://anaisonline.uems.br/index.php/semex/article/view/6824

Edição

Seção

SAÚDE

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)