IMPLEMENTAÇÃO DE BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO E REUTILIZAÇÃO DE RESÍDUOS ALIMENTARES NAS ESCOLAS PÚBLICAS NO MUNICÍPIO DE NAVIRAÍ-MS

Pedro Paullo Alves dos Santos, Mariana Manfroi Fuzinatto, Elizângela Serenato Madalozzo

Resumo


A alimentação tem como finalidade nutrir e saciar as necessidades básicas, sendo este um fator primordial para o desenvolvimento corporal e intelectual. A merenda escolar deve proporcionar uma alimentação segura que atendam às necessidades nutricionais dos alunos durante a permanência na escola, assim contribuindo para a aprendizagem e rendimento escolar. O presente projeto teve como objetivo implantar e avaliar as Boas Prática de Manipulação (BPM) em duas instituições educacionais, uma do âmbito municipal e outra estadual, localizadas no município de Naviraí-MS, proporcionando a capacitação dos profissionais envolvidos (merendeiras), a fim de torná-los verdadeiros manipuladores de alimentos, e ao mesmo tempo inibindo o desperdício de alimentos, e reutilizando em benefício da comunidade escolar. As avaliações das instituições foram realizadas por meio de diagnósticos e análises visuais qualitativas, referentes à BPM. A concepção foi realizada com o auxílio de lista de verificações (check-list) com o objetivo de analisar a áreas internas e externas, e aplicação de questionários, tendo como base as legislações vigentes, as quais estão relacionadas às condições higiênicas- sanitárias do local de manipulação. Os manipuladores de alimentos apresentaram um nível de conhecimentos intermediário sobre a manipulação de alimentos, o que demonstrou carência de treinamentos. Uma das instituições demonstrou conformidade em relação à lista de verificação. Já a outra instituição apresentou não- conformidade devido a problemas na infraestrutura. Foram coletadas informações sobre o nível de resíduos gerados no preparo da merenda escolar, sendo um fator preponderante para a consagração deste projeto. Foram avaliados cincos manipuladores de alimentos em ambas as instituições, sendo que todos os envolvidos tinham contato direto com o setor de manipulação. Por meio da aplicação da lista de verificação sobre BPM, as duas escolas avaliadas apresentaram carência de conhecimentos técnicos e operacionais do ponto de vista higiênico e escassez de instrumentos operacionais, conforme as legislações especificam. Nenhuma das instituições participantes possuía manuais operacionais como Manual de Boas Práticas de Fabricação e Procedimentos Operacional Padrão (POP). Ambas as escolas apresentaram níveis de desperdícios de alimentos insignificantes, porém apresentaram falta de conhecimento a respeito do reaproveitamento de alimentos, como o uso de partes não convencionais, tais como talos, sementes e cascas. Os manipuladores de alimentos receberam orientação e capacitação sobre a manipulação correta dos alimentos, bem como foi elaborado um manual de boas práticas de manipulação, com orientações básicas e alguns POPs sendo eles: (higienização das mãos; higiene pessoal; higienização do ambiente de manipulação; higienização de verduras, legumes e frutas; coleta de amostras). Foi realizada uma palestra e alguns treinamentos, a fim de aprimorar os conhecimentos dos manipuladores de alimentos de ambas as instituições, foram abordados temas como processo de elaboração, descarte, manipulação, higienização e armazenamento dos alimentos. Deste modo, possibilitou uma troca de conhecimentos entre o corpo discente da universidade, e os manipuladores de alimentos.


Texto completo:

Sem título

Apontamentos

  • Não há apontamentos.