IMPACTO DO USO DA HOMEOPATIA SOBRE A EFICIÊNCIA REPRODUTIVA DE FÊMEAS BOVINAS DA RAÇA NELORE

Lucas Ribeiro Zottesso, Wilian Aparecido Leite da Silva, Janaina Menegazzo Gheller, Christopher Junior Tavares Cardoso, Ana Caroline Bini de Lima, Fabiana de Andrade Melo Sterza

Resumo


A nutrição da vaca constitui o principal fator determinante da produção de hormônios, e com isso uma boa resposta reprodutiva. Os produtos Homeopáticos para reprodução podem ser uma alternativa promissora para melhorar a fertilidade de vacas na estação de monta. Diante disso o objetivo deste trabalho foi de Avaliar a eficiência reprodutiva de vacas suplementadas com homeopatia. O teste do produto foi realizado em vacas da raça nelore (n=184), as quais foram separados em 3 grupos. O grupo 1 (n=57) recebeu sal mineral da própria fazenda como controle, o grupo 2 (n=65) recebeu sal mineral Ciomax® sem homeopatia, e grupo 3 (n=62) recebeu sal mineral Ciomax Plus® com homeopatia. Os três grupos foram mantidos em piquetes separados, com sistema de pastejo rotacionado. O escore corporal médio dos animais no início do experimento era de 3,5 (escala de 1-5) e o peso médio em torno de 480(±55,5) kg. O início do fornecimento do sal mineral se deu 30 dias antes do parto. O fornecimento do sal foi à vontade para os três grupos. Conforme os animais foram parindo, formaram-se os lotes para a IATF (aproximadamente 45 dias pós-parto) totalizando 3 lotes de IATF. Juntamente com o protocolo de inseminação foram medidos a intensidade do cio, o diâmetro do folículo dominante. Com 30 e 60 dias após as inseminações, realizou-se o diagnóstico de gestação por ultrassonografia. Para analises dos dados, utilizou-se o PROC GLIMIX (SAS®; p<0,05). A incidência de cio não diferiu significativamente, sendo controle 72%, Ciomax 86% e Ciomax plus 52 %, isso mostra que os animais responderam adequadamente ao protocolo. O diâmetro do folículo dominante foi semelhante para os lotes, com 12 mm (±0,1) no controle,12 mm (±1,41) no ciomax e no ciomax plus12 mm (±3,09). A taxa de prenhez a primeira inseminação foi de 61,7 (21/34) no controle, 67,3 % (35/52) no ciomax e 71,1 (37/52) no ciomax plus, não havendo diferença entre os lotes. A taxa de prenhez a segunda inseminação foi de 50 % (1/2) no controle, 75.0 % (12/16) no ciomax e 70.0 % (7/10) no ciomax plus, também não houve diferença estatística. A taxa de prenhez final, após os animais submetidos ao touro foi de 68,4 % (39/57) para controle, 72,3 % (47/65) no ciomax e 77,4 % (48/62) no ciomax plus, também não houve diferença na prenhez final. Como conclusão, provavelmente em função do número de animais, não houve diferença entre o grupo com ou sem homeopatia, porém, a homeopatia pode ser uma ferramenta promissora para a propriedade, visto que se teve uma taxa de 9,1 % a mais que o controle a primeira inseminação.


Texto completo:

Sem título

Apontamentos

  • Não há apontamentos.