ASSISTÊNCIA TÉCNICA AOS INICIANTES NA PISCICULTURA

Gleice de Souza Calves, Beatriz Pacheco Nogueira Oliveira, Fayane Espírito Santo, Ueslei de Paula Franquilim da Silva, Leonardo Augusto da Silva, Cristiane Meldau de Campos

Resumo


A piscicultura é um dos segmentos da produção animal que mais cresce no cenário mundial, sendo a qualidade da água um fator de preocupação constante. A interação dos processos físicos, químicos e biológicos oriundos das atividades de piscicultura ocorre totalmente no sistema, o que indica o potencial poluidor da atividade. O conhecimento e monitoramento da qualidade das águas oriundas da produção de organismos aquáticos se fazem necessário para minimizar possíveis impactos ambientais e oferecer ao organismo cultivado ambiente adequado, garantindo a sustentabilidade da produção. Pequenos produtores e, principalmente, iniciantes na produção de peixe, pouco se atentam e, até mesmo, desconhecem a importância das variáveis limnológicas para o crescimento e saúde dos peixes. O objetivo deste trabalho foi colaborar com o setor produtivo, monitorando as variáveis de qualidade da água de cultivo e, ao mesmo tempo, levando informações e aprimorando o conhecimento dos produtores sobre essa questão. O monitoramento da qualidade da água foi realizado na Piscicultura do Rancho Pirapora e nos viveiros do Pesque e Pague Aquariu’s, ambos localizados no município de Aquidauana, MS. As variáveis limnológicas aferidas, mensalmente, foram temperatura, oxigênio dissolvido e pH com equipamentos portáteis e amônia com kit colorimétrico. O valor mais alto de amônia (2,0 ppm) foi obtido no mês de março/2018 no viveiro 3, que estava em fase de teste, do Pesque e Pague Aquariu’s. Este valor se deve ao fato do aumento do valor de pH (pH=9,0), totalizando assim uma amônia altamente tóxica (>0,520 ppm). O valor mínimo de pH (pH=5,7) foi registrado em fevereiro/2018 nos viveiros 2,3 e 4 do Rancho Pirapora e o valor máximo (pH=9,8) foi registrado em março/2018 no viveiro 2 do Pesque e Pague Aquariu’s. A menor média de oxigênio dissolvido (1,9 mg/L-1) foi registrada em dezembro/2017 nos viveiros 4 e 5 do Rancho Pirapora. O manejo nos viveiros de ambas as propriedades e principalmente o sistema de abastecimento, troca de água e aeração dos viveiros, influenciaram nos parâmetros obtidos de qualidade de água. Os resultados indicam a necessidade de adotar boas práticas de manejo a fim de melhorar a qualidade ambiental das criações, como também contribuir para a sustentabilidade da atividade aquícola. A equipe do Programa Peixe Sempre faz as orientações possíveis para contribuir com a qualidade da água de cultivo nessas duas propriedades.


Texto completo:

Sem título

Apontamentos

  • Não há apontamentos.