APERFEIÇOAMENTO TECNOLÓGICO E MELHORA DAS CARACTERÍSTICAS DO COLETOR DE SANGUE KREV

Giovanna Silva Bortman, Ademar Henrique Nascimento Fernandes, Marcus Vinicius Morais Oliveira

Resumo


A coleta de sangue se torna de suma importância, já que a sanidade dos animais, bem como as avaliações preventivas ou comprobatórias das análises clinicas são efetuadas por meio de exames laboratoriais em amostras de sangue. Objetivou-se analisar o efeito de diferentes tipos de agulha, bem como do recipiente de armazenamento do sangue, sobre o tempo para extração do sangue e o comportamento dos animais durante os procedimentos de coleta. O trabalho foi realizado na UEMS - Aquidauana com animais da raça Nelore onde foram coletadas 240 amostras de sangue nas veias caudal e jugular. Os tratamentos envolvendo as inovações tecnológicas da agulha foram: T1- Coleta com agulha de aço 25x4 e ponta de aço; T2- Coleta com agulha de aço 25x7 e ponta de aço. Os tratamentos envolvendo as inovações tecnológicas do recipiente foram: T1- Tamanho padrão, 11 cm de comprimento e T1 - Tamanho reduzido, 6 cm de comprimento. Um Médico Veterinário, experiente, ficou responsável por efetuar as medições de estresse do animal, por meio de aferições do batimento cardíaco e frequência respiratória. Os riscos associados a possível formação de hematomas durante a punção da veia e da manifestação de dor pelo animal também foram averiguados. Foi aferido o tempo gasto para a coleta de sangue, sendo a marcação realizada a partir do momento em que o animal estiver pronto da iniciar a coleta de sangue e o término da contagem do tempo ocorreu no momento em que o recipiente contendo a amostra de sangue foi colocado numa caixa de isopor com gelo. Os resultados avaliados no T1 mostraram frequência cardíaca antes 110 e depois 100,93 a frequência respiratória antes 37,87 e depois 32,8. 93,33% dos animais não apresentaram hematomas na jugular, porem 76,67 % apresentaram hematomas na cauda. 60% não apresentaram dor na hora da coleta, e o tempo médio de coleta na jugular foi de 18,07 segundos e 27,37 segundos na cauda. No T2 a frequência cardíaca 108,8 antes e depois 100,13, a frequência respiratória antes foi de 41,2 depois 41,07. 76,67% dos animais não apresentaram hematoma na jugular e 63,33% dos animais apresentaram hematoma na cauda, 80% dos animais não apresentaram dor na hora da coleta o tempo médio de coleta na jugular foi de 20,57 segundos e 30,2 segundos na cauda. A recomendação da velocidade da centrifuga e o tempo é de 2,5 rpm a 8 minutos onde obteve uma boa separação da fração.


Texto completo:

Sem título

Apontamentos

  • Não há apontamentos.