PREVENÇÃO DO CONSUMO DE DROGAS PSICOTRÓPICAS POR ADOLESCENTES ATRAVÉS DE AÇÃO DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE EM ESCOLAS PÚBLICAS DE CAMPO GRANDE /MS

Marcos Vinicius de Almeida Silva

Resumo


Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar - PeNSE, realizada em 2015, 9,0% dos escolares do 9º ano do ensino fundamental já usaram drogas. Levando-se em consideração estes dados e as consequências biopsicossociais do consumo de drogas, é evidente a necessidade de ações de educação em saúde no ambiente escolar que objetivem a redução do consumo de drogas pelos jovens. O objetivo das ações de extensão foi o de promover Educação em Saúde aos adolescentes no ambiente escolar referente ao consumo de drogas psicotrópicas. Utilizou-se, nas atividades, uma metodologia participativa e ativa embasada no PBL (Problem Based Learning). Houve uma divisão dos alunos em grupos de 6 a 12 pessoas, nos quais seriam feitos uma discussão intra-grupal as principais drogas psicotrópicas ilícitas. Um dos estudantes ficou encarregado de ser o coordenador e outro de ser o secretário. Cada grupo foi organizado em uma roda de conversa, na qual o tutor, um acadêmico de medicina, fazia uma pergunta norteadora para o início da discussão. Esta pergunta deveria ser abrangente e, portanto, foi padronizada a seguinte questão, “o que são drogas para vocês?”. A partir desta questão, a discussão pode fluir para os diferentes tipos de drogas psicotrópicas, tais como, maconha, crack e cocaína. Caso houvesse alguma dúvida, o tutor esclarecia no próprio grupo. Os alunos puderam compartilhar experiências referentes à temática drogas, a partir das quais muitos conceitos distorcidos surgiram. A metodologia ativa embasa no PBL (Problem Based Learning) contribuiu para o processo de reflexão e também para o maior interesse dos alunos na aquisição do conhecimento. Desta forma, pode-se realizar uma prevenção primária, agindo em um grande fator agravante para o consumo de drogas, o desconhecimento. Concluí-se, que a utilização de metodologias ativas baseadas no PBL como forma de educação em saúde em escolas brasileiras para a prevenção primária do consumo de drogas pode ser vista como uma forma inovadora e potencialmente eficaz para a redução dos dados obtidos pela Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar – PeNSE – de 2015. Ao tornarem-se agentes ativos na aquisição de conhecimento, os alunos demonstraram mais interesse pela temática, algo essencial para o processo educativo e conscientizador.


Texto completo:

Sem título

Apontamentos

  • Não há apontamentos.