CAPACITAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE SAÚDE, QUE ATUAM NO PROGRAMA DE HIPERTENSÃO E DIABETES DAS ESTRATÉGIAS DE SAÚDE DA FAMÍLIA, PARA REABILITAÇÃO DE PACIENTES COM DOENÇA RENAL CRÔNICA (DRC)

Caíque Barros Neves, Tânia Christina Marchesi de Freitas

Resumo


A Doença Renal Crônica (DRC) é a anormalidade da função e/ou estrutura dos rins presente por mais de três meses que acarrete implicações para saúde. A Diabetes Melitus (DM) tipo 1 e tipo 2 e a Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) são as principais morbidades relacionadas ao desenvolvimento de disfunções renais, colaborando, então, para o surgimento da DRC. O diagnóstico precoce e o encaminhamento para o especialista são etapas essenciais para o manejo dos pacientes, pois possibilitam a educação pré-dialítica e a implantação de medidas preventivas que retardam ou interrompem a progressão da lesão renal. Este projeto de extensão tem como objetivo capacitar e atualizar os profissionais de saúde que atuam com diabéticos e hipertensos sobre a melhor conduta, afim de uma reabilitação mais eficaz para clientes com DRC. Trata-se de um estudo observacional prospectivo, realizado em Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSF). Reuniões são realizadas para apresentação do projeto de extensão a todos os envolvidos (acadêmicos de medicina, colaboradores externos, responsáveis pelo serviço médico e da saúde da equipe multidisciplinar das UBSFs) sempre em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande – SESAU. Nas Unidades, foram realizadas atividades de capacitação, sempre agendadas conforme a disponibilidade da Unidade, com os profissionais da Saúde, sendo todo material gráfico utilizado elaborado pelos acadêmicos sob supervisão de colaboradores externo e da coordenadora do projeto. No total, foram realizadas cinco capacitações em três UBSFs distintas (São Francisco, MAPE e Vila Corumbá), e duas reuniões organizadas pela SESAU, totalizando um público de 86 profissionais de saúde. Destes, 52% eram Agentes Comunitários de Saúde (ACSs), 31,39% de médicos, 1,8% acadêmicos de medicina e 3,48% outros profissionais (enfermeiros, dentistas, fisioterapeuta). Pode-se concluir, baseado nos dados apresentados, que as ações desenvolvidas tiveram a importância de aperfeiçoar o conhecimento no que tange a DRC e suas principais causas, refletindo em aperfeiçoamento no rastreamento e atendimento dos médicos e ACSs na Atenção Básica, garantindo aos usuários melhor acompanhamento e tratamento de suas enfermidades.


Texto completo:

Sem título

Apontamentos

  • Não há apontamentos.