RESTAURAÇÃO DE ÁREAS URBANAS: ARBORIZAÇÃO ESCOLAR

Lucas Cabette, Daniela Fialho Duarte, Danielle Maciel João, Andressa Aparecida Xavier Vascão, Andressa dos Santos Pereira, Luiza Calastro Carneiro

Resumo


Historicamente, a expansão urbana trouxe inúmeros resultados negativos ao meio ambiente, pois usava-se os recursos naturais como elementos infinitos sem preocupar-se com o futuro. Mas nos últimos anos, com os resultados obtidos por essas ações não planejadas, o ser humano vem tentando reverter essa situação, como, por exemplo, a recuperação de ambientes urbanos. As escolas e instituições de ensino tratam dentro de sua grade de matérias temas que incitam a formação do pensamento crítico, e inserem temáticas transversais no cotidiano como: meio ambiente e saúde; deveres cívicos e cidadania; vida em comunidade e colaboração, sendo assim o local propício para apresentar estas discussões aos estudantes. Apresentar e conversar sobre temáticas transversais com crianças e adolescentes (estudantes) é uma maneira de tratar as problemáticas sociais em vários frontes, uma vez que ao educar o estudante formamos um cidadão com maiores chances de tornar-se um adulto responsável, ao mesmo tempo a criança torna-se um “vetor” do conhecimento adquirido, podendo assim reeducar os adultos do seu núcleo familiar. O Centro de Apoio e Reintegração da Criança e do Adolescente (CARCA) foi fundado pelo Pe. Alberto Wiesi, no dia vinte e sete de novembro de 1996, na cidade de Ivinhema, MS. O CARCA é um projeto criado pela necessidade das famílias em manter os jovens longe de influências negativas (criminalidade), ao mesmo tempo oferecer um roteiro que ajude a formação do cidadão (esporte e lazer), enquanto permite-os conviver e brincar como crianças, sendo também um local que cultiva as culturas locais rurais. Nesta perspectiva, o projeto teve como principal objetivo realizar a arborização de uma área dentro do CARCA para criar um bosque para os jovens participantes e os voluntários como área de lazer, ao mesmo tempo trazer a discussão sobre meio ambiente e sustentabilidade, e sobre os biomas, e a importância de árvores nativas para a região. Foram plantadas 230 mudas nativas da região, e após 15 dias foi feito uma revisita para substituição das mudas que não sobreviveram, após mais 15 dias foi feito um replantio para incrementar a diversidade com 180 mudas. Para aproximar os alunos com a culturalidade foram escolhidas espécies frutíferas da região como maçã-de-anta e pitomba, para que os estudantes possam usar como alimento assim como a fauna que busca abrigo nesses locais. Concluiu-se que o projeto foi bem sucedido em função da alta receptividade do público alvo em relação às atividades desenvolvidas e aos evidentes benefícios proporcionados.


Texto completo:

Sem título

Apontamentos

  • Não há apontamentos.