EDUCANDO PARA RECICLAR

Letícia Karoline Alves de Oliveira

Resumo


Sabe-se que os principais influenciadores nas das decisões envolvendo o desenvolvimento sustentável estão nas mãos da família, da escola e da mídia, por conta da grande influência que exercem sobre o pensar e o agir das pessoas. Desta forma, é pertinente que o grande acumulo de lixo, que é atualmente resultado do consumo exacerbado de bem materiais advindos de um desenvolvimento tecnológico crescente e de um processo de obsolescência acelerado, seja tema de discussão nestes ambientes. Aos resíduos sólidos provenientes de eletroeletrônicos, popularmente conhecidos como lixo eletrônico, aplica-se a Lei nº 12.305/10, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que busca soluções para os graves problemas por esse tipo de lixo, que vem comprometendo a qualidade de vida dos brasileiros. A PNRS estabelece princípios, objetivos, diretrizes, metas e ações, e importantes instrumentos, tais como Plano de Nacional de Resíduos Sólidos, que comtempla os diversos tipos de resíduos gerados, alternativas de gestão e gerenciamento passiveis de implementação, bem como metas para diferentes cenários, programas, projetos e ações correspondentes. Todavia umas das alternativas para tentar minimizar os impactos desse problema é a minimização do consumo e a reciclagem, porém ambas só serão aderidas pela população a partir de um processo por meio da Educação Ambiental, sendo a escola um ambiente que tem um enorme potencial de disseminação de valores e condutas. Através desse projeto, que foi realizado na Escola Municipal Aurora Pedroso de Camargo, no Município de Dourados-MS, pretendeu-se por meio da Educação Ambiental, sensibilizar os alunos da importância da reciclagem e da minimização do consumo, desenvolvendo, na escola, palestras e atividades pedagógicas nesse sentido, dando uma especial atenção a questão do lixo eletrônico. Também neste sentido, ajudou-se a escola no cumprimento da Lei nº 9.795, de abril de 1999, que dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências, onde no seu artigo 1º define a Educação Ambiental como: “…os processos por meio dos quais o indivíduo e a coletividade constroem valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas para a conservação do meio ambiente, bem de uso comum do povo, essencial à sadia qualidade de vida e sua sustentabilidade…”. Por meio deste, conclui-se que a excussão do projeto mencionado, pode-se ter contribuído para que os alunos desta escola também tornem agentes transformadores do meio ambiente em que vivem, criando assim um grande circuito de disseminação desse conhecimento e conscientização.


Texto completo:

Sem título

Apontamentos

  • Não há apontamentos.