O RELATÓRIO FIGUEIREDO E A VIOLÊNCIA CONTRA OS INDÍGENAS NO TERRITÓRIO DO ATUAL MS

Hélita da Silva Igrez Branco, Lenir Gomes Ximenes

Resumo


O presente artigo tem por finalidade demonstrar violações dos Direitos Humanos cometidas contra as populações indígenas no período da Ditadura Militar. Os fatos ocorridos contra indígenas vão além de nossa imaginação, as mais diversas barbáries que vão de escravização ao genocídio, porém na maioria das vezes a origem das causas de problemas são as questões territoriais. Ainda no presente artigo a influência do SPI – Serviço de Proteção ao Índio, em seu período de atuação, a contribuição para as diversas formas de violência. O Relatório Figueiredo material da década de 1960 escrito por Jader de Figueiredo Correia mostra as atrocidades cometidas com indígenas de todo país, descrito em suas páginas marcas de crueldade, sofrimento e muitas mortes. Sucederam investigações que resultaram na suspensão de alguns funcionários do SPI, apesar de que muitas das ações terem ficado sem punição. Após 45 anos o Relatório Figueiredo reaparece em 2013 e é apurado pela Comissão da Verdade. Ainda nesse contexto, podemos demonstrar a importância dos documentos oficiais para a pesquisa. Os resultados obtidos partem das reflexões desenvolvidas no âmbito do projeto “Cedoc: preservação do patrimônio histórico e cultural indígena no MS”, desenvolvido no Centro de Documentação Indígena Teko Arandu, no Núcleo de Estudos e Pesquisas das Populações Indígenas – NEPPI/UCDB. É fundamental essa releitura das fontes documentais, pois a partir dessa análise podemos obter uma melhor compreensão das violações dos direitos indigenistas.


Palavras-chave


Direitos humanos; Direitos indígenas; Relatório Figueiredo; Cedoc.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN ELETRÔNICO: 2175-8719