INFLUÊNCIA DA ÉPOCA DE EXCEÇÃO NA CONFIGURAÇÃO FAMILIAR E NO QUE ISSO AFETOU AS CRIANÇAS

Géssica Grazieli Brunca Batista, Rodrigo Bianchini Cracco

Resumo


O presente trabalho visa demonstrar como o período da Ditadura Militar brasileira (1964-1985) abalou as bases familiares dos que lutaram contra o regime de exceção, o fato de muitas famílias terem sido dissipadas e como isso se refletia nas crianças. Elas cresciam em meio a um clima de mistério ou então eram privadas da vida social quando, literalmente, presas junto dos pai; uma forma comum de torturar consistia em usar os filhos para forçar os pais a falar, torturando fisicamente as crianças e psicologicamente os adultos. A pesquisa foi realizada a partir de relatos de crianças cujos pais resistiram à ditadura. Notamos, enfim, que a vida familiar foi afetada negativamente e o cotidiano de tais crianças foi modificado totalmente, inclusive a vida escolar. Esse estudo se faz importante para que todos tomem conhecimento das conseqüências do regime ditatorial, para que os efeitos sejam lembrados e assim nunca mais repetidos.

 

Palavras-chave: Ditadura. Família. Criança. Tortura. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN ELETRÔNICO: 2175-8719