ESTADO BRASILEIRO: AS PRÁTICAS POLICIAIS CONTEMPORÂNEAS E SUA RELAÇÃO COM OS PROCESSOS DA INQUISIÇÃO

Laura Cogo Araújo, Carlos Augusto de Oliveira Diniz

Resumo


Diante da situação em que o Brasil se encontra em relação à criminalidade, o que tem mais chamado a atenção é falto de como esta está sendo enfrentada pelo Estado. É plausível que as forças policiais estão estabelecendo posturas inequívocas de sua função, na qual caçam, julgam e punem ali mesmo nas ruas, diante de câmeras sempre indiscretas e cada vez mais freqüentes. Isto leva a uma reflexão sobre as semelhanças entre essa conduta e as práticas ocorridas durante a Inquisição. Dessa forma, o objetivo do trabalho é estabelecer a discussão de como é possível em pleno século XXI haver punições em “praça pública”, ou seja, a força policial está retirando do cidadão, sobretudo, o pobre, o direito de ser julgado por um órgão competente onde lhe seja garantido o devido processo legal. Dentro deste contexto será utilizado o método dedutivo na execução do presente trabalho. Buscar-se-á ainda estabelecer uma relação entre essas atuações policiais e a concepção marxista de Estado, qual seja a de que o Estado é uma organização jurídica criada para auxiliar a classe dominante vencedora a subjugar a classe pobre derrotada.

 

Palavras-chave: Estado. Luta de Classes. Atuação Policial.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN ELETRÔNICO: 2175-8719