DIFICULDADES DE ACESSO DOS ESTUDANTES INDÍGENAS À EDUCAÇÃO BÁSICA

Regiane Tu Kun Ma, Maria de Fátima Oliveira Mattos Grassi

Resumo


No município de Dourados/MS, as escolas que existem na zona urbana costumam oferece ensino não-diferenciado para estudantes indígenas e não–indígenas. Este projeto teve como objetivo compreender as principais dificuldades que os estudantes indígenas enfrentam para garantir seu acesso e permanência na Educação Básica e foi realizado através de pesquisa qualitativa, descritiva, com entrevistas junto aos alunos e professores das Escolas Públicas que estão em funcionamento na zona urbana e dentro da área das aldeias Jaguapiru e Bororo no município de Dourados. Destaca-se o fato de não haver dados precisos sobre as escolas da
zona urbana que possuem ou não estudantes indígenas. Dentre as principais dificuldades que os estudantes indígenas enfrentam, destacam-se as diferenças culturais, o excesso de valorização da cultura do branco, problemas financeiros e principalmente as barreira culturais, provocando um aumento significativo do índice de reprovação e evasão escolar. A construção de escolas nas aldeias é um importante passo para contribuir com o acesso e
permanência dos estudantes indígenas nas escolas. Há muitos jovens e adultos analfabetos ou mesmo que se evadem das escolas, em função destas dificuldades. O reconhecimento da escolas das aldeias como escolas indígenas, com estatuto diferenciado é, portanto, algo novo no sistema, e está em processo em todo o Brasil. O incentivo na formação de professore indígenas, pois possibilita que os estudantes tenham a oportunidade de que sua cultura costumes, tradições sejam valorizados e incorporados ao trabalho pedagógico das escolas, à medida que o professor tem conhecimento acerca da cultura e das sociedades indígenas.


PALAVRAS-CHAVE: Educação escolar indígena; evasão escolar; Educação Básica

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.