ADUBAÇÃO PÓTASSICA E MANEJOS NA CANA-DE-AÇÚCAR

Rafael Zamboni, Hamilton Kikuti

Resumo


Este trabalho teve o objetivo de avaliar o desenvolvimento inicial da cana planta, submetida a diferentes doses de adubação potássica, em dois sistemas de manejo do solo: plantio da cana-de-açúcar após pousio e após cultivo de Crotalaria juncea, no Município de
Cassilândia/MS. O experimento foi realizado na área experimental da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Unidade Universitária de Cassilândia/MS. O solo da área experimental foi classificado como Latossolo Vermelho Amarelo, textura arenosa. O delineamento utilizado foi blocos casualizados, com quatro repetições, no esquema de parcelas subdividas, sendo o fator cobertura do solo com Crotalaria juncea ou pousio
alocados nas parcelas e cinco doses de K2O, alocadas nas subparcelas. As doses de K2O foram: 0, 50, 100, 150 e 200 kg ha-1 a fonte utilizada foi o KCl (60% de K2O). Foram avaliadas a altura de plantas, a viabilidade de gemas, o número de perfilhos e a determinação da produção de matéria verde e seca da parte aérea das plantas de cana-de-açúcar. Os dados foram avaliados por meio de análise de variância empregando-se o teste F de Snedecor para verificação da diferença entre os tratamentos. O efeito das doses de potássio foi avaliado por meio de regressão seguindo o método dos mínimos quadrados. Verificou-se que as diferentes doses de K2O tiveram efeito na terceira e quarta avaliação de gemas viáveis, com destaque para a dose de 150 kg há-1.

PALAVRAS-CHAVES: Saccharum sp.. Crotalaria juncea. Potássio. adubo verde. Leguminosa.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.