CONDUTÂNCIA ESTOMÁTICA EM ESPÉCIES NATIVAS UTILIZANDO RESÍDUO DE ETE INCORPORADO AO SUBSTRATO

Autores

  • Micael Fernandes Heinz UEMS
  • Etenaldo Felipe Santiago

Resumo

As  atividades  antrópicas  exercem  pressão  contra  o  meio,  merecendo destaques  a contaminação  ambiental  promovida  por  resíduos  de  esgoto. Considerando  que  as  empresas públicas  responsáveis  pelas  atividades  de gerenciar  os  resíduos  do  tratamento  de  esgoto, buscam alternativas para aproveitamento e destino deste material as  pesquisas nessa linha são importantes.  Objetiva-se  estudar  a  utilização  de  lodo  de  esgoto  na produção  de  mudas  de espécies  arbóreas  do  Cerrado.  Para  tanto  foram executados  experimentos  com  diferentes concentrações  de  lodo  de  esgoto incorporado  na  fo rma  de  adubação.  O  lodo  de  esgoto  foi empregado  na forma  de  solução,  em  diluições  nas  frações  75,  50,  25  e  0%.  As plantas testadas, das especies Tabebuia alba, Guazuma ulmifolia, Genipa americana,  foram dispostas em  bandejas  plásticas  e  aplicada  as  soluções via  sub  irrigação,  sendo  colocado  em  cada bandeja 250  ml de cada solução.  Foram avaliados  os dados de  radiação fotossinteticamente ativa,  condutância estomática e temperatura foliar.  Para as  médias de condutância estomática (Gs)  ocorreu  diferença  entre  as  concentrações.  Em T.  alba  as  concentrações  0  e  25% apresentaram  maiores  Gs  em  torno de  132  mmol  m-2s-1.  Para  G.  ulmifolia  a  maior  Gs  foi observada no Controle 269.4 mmol m-2s-1, e o menor na concentração 25% (153 mmol m-2s-1). G.  americana  apresentou maior valor da média para  Gs, na concentração 50% (304 mmol m-2s-1),  e  o  menor  valor  foi  encontrado  na concentração  75%  (184  mmol  m-2s-1). Independentemente da concentração da solução de  lodo, para  T. Alba  foi sempre  menor, ao passo que o comportamento de  G. americana  e  G. ulmifolia  foi similar. Assim  foi possível observar  para  T.  alba  foi  mais  sensível  as  condições experimentais,  embora  as  espécies tenham  respondido  as  concentrações de lodo.  O  comportamento  estomática  das  espécies indicou  de  maneira  geral que  esteve  associada  à  radiação  e  variação  da  temperatura  das folhas, embora tenha respondido ao lodo do esgoto. 

Downloads

Publicado

10/02/2015

Como Citar

Heinz, M. F., & Santiago, E. F. (2015). CONDUTÂNCIA ESTOMÁTICA EM ESPÉCIES NATIVAS UTILIZANDO RESÍDUO DE ETE INCORPORADO AO SUBSTRATO. ANAIS DO ENIC, (6). Recuperado de https://anaisonline.uems.br/index.php/enic/article/view/2322

Edição

Seção

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)