A CONCORDÂNCIA NOMINAL DE GÊNERO E DE NÚMERO NO PORTUGUÊS FALADO NA COMUNIDADE PICADINHA DE MS E NO CRIOUO DA GUINE BISSAU

nagila prado sana

Resumo


O presente estudo visa retratar a diversidade linguístico-cultural afro-descendente, no sentido de contribuir com os estudos relacionados à língua e à interculturalidade, em que temos como estímulo para essa pesquisa a “Lei nº 10.639/2003 que  acrescentou à Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) dois artigos: 26-A e 79-B em que afirmam que  o ensino deve privilegiar o estudo da história da África e dos africanos, a luta dos negros no Brasil, a cultura negra brasileira e o papel dessa na formação da sociedade nacional. Partindo deste pressupostos, estudamos  a morfossintaxe do crioulo guineense comparando-o a norma padrão e à forma variante da língua nas comunidades quilombolas rurais, fazendo uma análise do aspecto sociolinguístico do país e dos povos que compõe os grupos pesquisados.  Analisamos a concordância de nominal de gênero e de número no português falado por afro-descendentes do Brasil (Comunidade Picadinha) e da Guiné Bissau, com objetivo de  identificar e analisar o processo da crioulização sobre o aspecto morfossintático do português vernáculo, comparando essa estrutura à do crioulo da Guiné Bissau, inclusive para verificar supostos vestígios do crioulo guineense no português do Brasil.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.