PLASTICIDADE ADAPTATIVA EM PLANTAS JOVENS DE EUGENIA TAPACUMENSIS BERG. (MYRTACEAE) EM RESPOSTA À DEFICIÊNCIA NUTRICIONAL E ALAGAMENTO DO SUBSTRATO

Autores

  • Vanessa de Mauro Barbosa
  • Etenaldo Felipe Santiago

Resumo

Estudos com espécies nativas contribuem no entendimento de como as plantas se estabelecem. Estudou-se a plasticidade adaptativa de Eugenia tapacumensis Berg. (Myrtaceae). As plantas foram produzidas em viveiro de mudas, sob quatro tratamentos: Lote A - nutrido (N): adubadas com solução de Hoagland; Lote B - desnutrido (D): mantido em capacidade de campo sem adubação; Lote C - alagado/nutrido (AN): adubado nas mesmas dosagens que o lote A e mantido nas condições de alagamento. Lote D - alagado/desnutrido (AD): sem adubação e alagado ao longo do período experimental. O desenvolvimento inicial das plantas foi acompanhado através da análise do crescimento em altura e diâmetro do colo. Avaliou-se ainda os parâmetros básicos de fluorescência da clorofila a.

Biografia do Autor

Vanessa de Mauro Barbosa

Estudante de Ciências Biológicas 2°ano

Downloads

Publicado

16/10/2015

Como Citar

Barbosa, V. de M., & Santiago, E. F. (2015). PLASTICIDADE ADAPTATIVA EM PLANTAS JOVENS DE EUGENIA TAPACUMENSIS BERG. (MYRTACEAE) EM RESPOSTA À DEFICIÊNCIA NUTRICIONAL E ALAGAMENTO DO SUBSTRATO. ANAIS DO ENIC, 1(2). Recuperado de https://anaisonline.uems.br/index.php/enic/article/view/1305

Edição

Seção

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)