DIFERENCIAÇÃO DE ESPÉCIES DE PEIXES EM RIACHOS DA BACIA DO RIO PARANÁ, ATRAVÉS DA TÉCNICA DE ESPECTROSCOPIA FOTOACÚSTICA

Francylaine Silva de Almeida, Yzel Rondon Súarez

Resumo


Para o presente estudo foi aplicada a técnica de espectroscopia fotoacústica (FTIR-PAS) para peixes de riachos da bacia do rio Paraná com o objetivo de verificar se o referido método é suficientemente sensível a ponto de identificar diferenças entre as espécies
analisadas. A técnica de FTIR-PAS fornece um espectro no qual a interpretação da composição química de compostos inorgânicos/orgânicos é possível através da análise da intensidade de absorção dos modos vibracionais referentes à composição química dos átomos constituintes da matéria a ser analisada. Foram utilizadas escamas de 16 espécies, sendo para cada espécie selecionado no mínimo 5 exemplares, para casa exemplar retirou-se 3 escamas para analise Os espectros foram normalizados pela área, e assim foram selecionados os picos mais relevantes. Através da análise de função discriminante quantificamos a contribuição de cada pico para a diferenciação das espécies analisadas. Constatou-se que é possível diferenciar as espécies através da técnica de FTIR aplicada à
composição química das escamas (Wilk's lambda = 0,000001; F=13,232; P 0,00). Os picos mais importantes na diferenciação das espécies foram 2927, 2854, 3324 e 1558 cm-1 na primeira raiz canônica, explicando 95,3% da variação nos dados. Algumas espécies agruparam-se de acordo com o grau de parentesco filogenético, sugerindo que o método possa vir a ser utilizado também para complementação de estudos evolutivos.

Palavras-chave: Infravermelho médio, composição química, escamas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.