CONSUMO DE ALIMENTOS E HÁBITOS ALIMENTARES DE IDOSOS HIPERTENSOS PARTICIPANTES EM CENTRO DE CONVIVÊNCIA,DOURADOS,MS

Priscyla Tainan Camargo, Vivian Rahmeier Fietz

Resumo


A hipertensão pode estar associada ao estilo de vida e aos hábitos alimentares. O objetivo foi avaliar o consumo de alimentos, hábitos alimentares associados à hipertensão e identificar as condições socioeconômicas e demográficas de idosos que freqüentam o Centro de Convivência, Dourados, MS.Foi aplicado o Recordatório Alimentar de 24h (R24h) e Questionário de
Freqüência Alimentar (QFA). Foram entrevistados 35 idosos hipertensos, sendo 29 do sexo feminino (82,8%) e seis do sexo masculino (17,1%). A média de idade encontrada foi de 69,3 anos. Os valores médios do Valor Energético Total (VET) foram de 1.280,98 kcal para as
mulheres e de 1.471,63 kcal para os homens. Observou-se baixa freqüência no consumo de hortaliças e frutas. Notou-se que entre as fontes protéicas, as carnes vermelhas foram as mais consumidas, valendo destacar baixa freqüência para o peixe. Notou-se baixo consumo de doces e
sobremesas. Verificou-se que 50,1% dos participantes tiveram uma ingestão 4,0 a 7,53g de NaCl/dia, porém 4,5% dos idosos consomem sal em quantidades consideradas perigosas para a saúde (14,86 a 18,48g). O almoço, seguido do desjejum são as refeições mais importantes. A
distribuição dos macronutrientes no VET foi inadequada, para ambos os sexos. Conclui-se que os idosos, de maneira geral, apresentaram um consumo inadequado de nutrientes, tanto em relação à distribuição como na contribuição no VET. Essa característica pode contribuir para o agravamento da doença e o surgimento de outras doenças crônicas não contagiosas. Vale lembrar a necessidade de incrementar informações no que tange aos hábitos alimentares saudáveis.



Palavras chave: idosos, hipertensos, estado nutricional e consumo de alimentos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.