AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL E CONDIÇÕES SOCIOECONÔMICAS E DEMOGRÁFICAS DE GESTANTE CADASTRADAS EM ESTRATÉGIA DA SAÚDE DA FAMÍLIA EM DOURADOS, MS

Érica Quintiliano Oliveira, Vivian Rahmeier Fietz

Resumo


O período gestacional requer aumento das necessidades nutricionais. O objetivo foi avaliar o estado nutricional de gestantes, situação socioeconômica e demográfica. O trabalho foi realizado com gestantes cadastradas em Estratégia de Saúde da Família (ESF), por meio de
visitas domiciliares junto com Agente Comunitário de Saúde (ACS) e de entrevistas na própria Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF). Utilizando questionários, coleta de dados antropométricos e consumo de alimentos. Foram entrevistadas 32 gestantes, com idade média de 23,5 anos, o que correspondeu num estrato de idade de 14 a 36 anos. Ressalta-se que 15,6% eram adolescentes. Relacionado à escolaridade apenas 6% das entrevistadas
concluíram o Ensino Médio e nenhuma possuía instrução profissionalizante completo, ainda, 59% tinham renda familiar inferior a dois salários mínimos vigentes. Notou-se que 69% das gestantes não possuíam tratamento de água em sua residência, mas todas tinham o fornecimento de energia elétrica e que não existia coleta seletiva. Embora soubessem os malefícios do álcool e do tabaco, 13% das gestantes faziam uso de tabaco e 19% consumiam bebidas alcoólicas. Notou-se que o IMC médio observado no 1° trimestre foi de 23,18 e no final da gestação de 27,46. Quanto à classificação do estado nutricional ré-gestacional,
73,07% eram eutróficas, 3,84 % sobrepeso, 11,53% tanto para obesidade como baixo peso. Em relação ao ganho de peso 54% tiveram ganho insuficiente, 19% adequado e 27% ganho excessivo. Em nenhum dos recordatórios a dieta foi adequada para o estado fisiológico da gravidez, sendo importantes ações educativas sobre hábitos e necessidades nutricionais.

Palavras chaves: gestantes, ganho de peso, estado nutricional.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.