ASPECTOS DA GERMINAÇÃO DE BOCAIÚVA (ACROCOMIA ACULEATA (JACQ) LODD. EX MART.)

Nislene Pires dos Santos, Glaucia Almeida de Morais

Resumo


A macaúba, coco-baboso ou coco-de-espinho, também denominada de palmeira bocaiúva, Acrocomia aculeata (Jacq.) Lodd. ex Mart, sempre foi uma planta desprezada e pouco conhecida até mesmo pelos brasileiros; porém, recentemente ela despertou, entre os pesquisadores, grande interesse devido ao seu potencial uso para a produção de biocombustível. A palmeira bocaiúva é encontrada nativa nas regiões de cerrado sendo que o
seu uso se restringe ao extrativismo dessas áreas nativas, sendo difícil o cultivo da palmeira, devido à baixa germinação ocorrida na natureza (3%) e pela demora de germinação (até 2 anos). Portanto, estudos sobre a germinação da Acrocomia aculeata são de suma importância
para viabilizar o estabelecimento de cultivos comerciais da cultura e assim contribuir para a disseminação de uma importante alternativa sustentável para produção de alimentos e biocombustíveis. Após a coleta, realizada em pontos diferentes do município de Ivinhema, foi determinado o diâmetro dos frutos, estes foram descascados, despolpados, escarificados ou não e submetidos à semeadura. Foram verificadas variações entre os frutos intactos ou despolpados de um mesmo local e entre locais diferentes e, independente da época da coleta
ou de submeter os frutos à escarificação, decorridos 8 meses da última semeadura, verificou-se que não houve promoção da emergência das plântulas de Acrocomia aculeata.

PALAVRAS-CHAVE: Dormência de sementes. Escarificação. Biometria. Nativas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.