NARRATIVIDADE EM “O CASO MOREL”, DE RUBEM FONSECA

Autores

  • Janilse Paula Brandão
  • Geraldo Vicente Martins

Resumo

O trabalho se propôs a analisar a importância da sintaxe narrativa na constituição do romance “O caso Morel”, de Rubem Fonseca, autor renomado da moderna literatura brasileira, e dos efeitos de sentido que esta se propõe a alcançar. Para isso, recorreu a elementos da teoria semiótica discursiva, sobretudo da sintaxe e da semântica narrativa, buscando reconhecer, nos elementos selecionados, pontos comuns e recorrentes que permitam identificar a narratividade da obra, a partir de diversas ocorrências de manipulação entre os protagonistas da obra. Considera-se que a observação dos diálogos entre as personagens Morel e Vilela, a exemplo do comportamento assumido por cada uma delas em relação à outra, constitui uma peça-chave para a devida compreensão do enredo do romance em questão. Palavras-chave: Análise lingüística. Literatura policial. Semiótica discursiva. Sintaxe narrativa.

Downloads

Publicado

14/10/2015

Como Citar

Brandão, J. P., & Martins, G. V. (2015). NARRATIVIDADE EM “O CASO MOREL”, DE RUBEM FONSECA. ANAIS DO ENIC, 1(1). Recuperado de https://anaisonline.uems.br/index.php/enic/article/view/1132

Edição

Seção

LINGUÍSTICA LETRAS E ARTES