ANÁLISE DOS CONECTORES ADITIVOS NAS TRADUÇÕES PORTUGUÊS-ESPANHOL FEITAS POR APRENDENTES BRASILEIROS

Rossana Paniagua Piris, Angela Karina Manfio

Resumo


Esta investigação teve por objetivo perscrutar o uso dos conectores aditivos em traduções português-espanhol feitas por aprendentes brasileiros universitários do nível intermédio-avançado (4º ano do Curso de Letras e último estágio formal de aprendizagem da referida Língua Estrangeira). Realizamos uma pesquisa de campo, sincrônica, longitudinal e seccional, cujo corpus foi constituído por uma amostragem representativa da interlíngua (IL) dos estudantes que nos permitiu descrever a utilização dos conectores aditivos pelos referidos alunos, baseada em traduções feitas por eles. Para tanto, nos servimos dos trabalhos de pesquisadores como Duarte (1999), Briones (2001), Fanjul (2002), Martí (2003) e Manfio (2007). Observamos que os aprendentes preferem utilizar os conectivos que apareciam nos textos originais e que são próximos aos de sua Língua Materna, como y e también, apesar da vasta gama de conectores aditivos existentes na Língua-alvo. Podemos considerar tal fato como uma estratégia de aquisição/aprendizagem do novo idioma, cuja tentativa de não cometer erros os levou a empregar primordialmente as formas mais conhecidas em ambas línguas.

Palavras-chave: Aquisição/aprendizagem de línguas; Língua Espanhola; Conectores aditivos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.