QUALIDADE DA ÁGUA NOS VIVEIROS DE CRIAÇÃO DO SURUBIM Pseudoplatystoma spp., SOB DIFERENTES DENSIDADES DE ESTOCAGEM

Erich Eberhardt Neto, Cristiane Meldau de Campos Amaral

Resumo


Este trabalho teve o objetivo avaliar a qualidade da água em viveiros com juvenis de surubins Pseudoplatystoma spp em diferentes densidades de estocagem. Os tratamentos (T1, T2 e T3) consistem nas seguintes densidades de estocagem respectivamente:
1px/5,00m²; 1px/3,00m²; 1px/2,14m², com três repetições. Foram estocados 1.757 surubins com peso inicial médio de 346 g. No arraçoamento utilizou-se ração comercial seca
extrusada para carnívoros. OD; pH; Temperatura; Transparência; foram mensurados semanalmente. As amostras foram coletadas na saída de água, nos primeiros 30 cm da superfície da massa d’água, com freqüência mensal para determinação de todos os
parâmetros físico-químicos; semanalmente no período da manhã entre às 07:00 e 08:00 horas e no período da tarde entre 16:00 às 17:00 horas, foram mensurados os parâmetros:
OD; pH; Temperatura e Transparência. Para os valores médios, observou-se que no (T1), os dados de pH e Oxigênio respectivamente (6,53; 9,62) obtiveram os melhores índices,
No T2 (6,38; 8,85) e T3 (6,37; 8,9). A temperatura média entre o período do experimento se manteve próximo à temperatura ideal para peixes tropicais (25 ºC a 32 ºC). Entretanto a
transparência apresentou-se relativamente alta, acima de 40 cm em todos os tratamentos, evidenciando pouca produção primária. As análises de nutrientes nos viveiros ainda não
foram determinadas estando estocadas e armazenadas em ambiente refrigerado até o presente término do experimento. Contudo os dados amostrados apresentam que as condições do ambiente para o tratamento com maior densidade de estocagem colaboram em melhor desenvolvimento dos peixes e contribuem para uma menor contaminação do efluente.


Palavras-chave: Aqüicultura, surubim, qualidade da água, variáveis limnológicas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.