FECUNDIDADE E FERTILIDADE DO CAMARÃO DE ÁGUA DOCE, Macrobrachium amazonicum

Dorly Scariot Pavei, Liliam Arruda Hayd

Resumo


O camarão de água doce, Macrobrachium amazonicum, foi introduzido no Brasil a mais de 50 anos. Nos últimos anos vem sendo explorado pela pesca artesanal na região
nordeste devido a sua ampla distribuição geográfica. Essa espécie é endêmica da América do Sul, desenvolve todo seu ciclo em água doce e possui ovos menores e em maior quantidade quando comparado com outros animais do mesmo gênero. Para melhores avaliações do potencial reprodutivo desta espécie na região pantaneira foram avaliados a fecundidade e fertilidade de fêmeas de Macrobrachium amazonicum em laboratório. Os animais foram coletados no viveiro do setor de piscicultura da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS)-Unidade Universitária de Aquidauana (UUA), e transportados para o laboratório de carcinologia. Para a determinação da fecundidade foram utilizadas 63 fêmeas ovigeras
coletadas em uma única vez no mês de dezembro de 2008, onde os ovos foram removidos da câmara incubadora, contados e armazenados em álcool 70%. A fertilidade foi determinada com a utilização de 76 fêmeas ovígeras com ovos em estágio avançado de desenvolvimento embrionário, que foram coletadas no mês de janeiro de 2009 em uma única coleta. Os ovos eclodiram de 2 a 8 dias após a coleta e as larvas foram sifonadas e contadas individualmente. A fecundidade média foi de 167±62, com valor menor de 93 e maior de 485, para fêmeas com peso de 0,222 g a 1,402 g e comprimento total de 29,85 mm a 51,32 mm. A fertilidade teve média de 186±74, com menor e maior valor de 87 e 387, para animais que apresentaram peso de 0,242 g a 1,482 g e comprimento total de 29,25 mm a 55,70 mm.

Palavras-chave: Fecundidade; Fertilidade; Camarão de água doce.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.