EFEITO FUNGICIDA DA PRÓPOLIS SOBRE Alternaria sp. NA CULTURA DO TOMATEIRO (Lycopersicon esculentum Mill.)

Livia de Freitas Rocha, Gustavo Haralampidou da Costa Vieira

Resumo


Os impactos causados por agrotóxicos têm levado ao surgimento de inúmeros estudos, que visam desenvolver produtos isentos de substâncias nocivas ao homem e ao ambiente. Sendo o tomate uma das hortaliças que mais recebe agrotóxicos no país e considerando que a
Alternaria sp. é o fungo de maior incidência nesta cultura, o presente trabalho foi desenvolvido com objetivo de determinar o potencial fungicida da própolis no tratamento da Alternaria sp., ocorrentes em tomateiro no município de Cassilândia/MS. Para tanto, inóculos do fungo foram isolados diretamente em plantas com o patógeno, e a partir desses, determinou-se a capacidade de germinação e crescimento micelial em meios de cultura com própolis nas concentrações de 2, 4, 6, 8 e 16 mL/L. Nesta primeira etapa pretendia-se determinar qual concentração de própolis apresentaria atividade antifúngica, para então usá-la
diretamente nas plantas. Apenas a própolis na concentração de 16 mL/L interferiu negativamente na capacidade de germinação e no crescimento micelial de Alternaria sp., apresentando resultado semelhante ao obtido com o fungicida Folicur 200 EC® (grupo
controle). As demais concentrações de própolis apresentaram baixa eficácia não diferindo
estatisticamente entre si. Quando testado diretamente nas plantas, a própolis na concentração de 16 mL/L também apresentou eficiência, porém, os resultados positivos foram observados somente a partir da terceira aplicação.

Palavras-chave: Produção orgânica. Fungos. Hortaliças.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.