EFEITO DE DOSES DE FÓSFORO E DENSIDADE DE SEMEADURA SOBRE O RENDIMENTO E QUALIDADE DE MILHO VERDE

Alan Queiroz Diniz, Hamilton Kikuti

Resumo


A cultura do milho verde tornou-se uma alternativa de grande valor econômico para pequenos e médios agricultores, responsáveis pela colocação do produto no mercado. A produção do milho verde exige atenção para fatores como a escolha da cultivar, densidade de semeadura, adubação, momento correto para colheita e as exigências do mercado consumidor. Assim o bom manejo da adubação fosfatada e da densidade de semeadura para a obtenção de melhor qualidade e produção de fito massa. Este trabalho teve como objetivo avaliar o efeito de doses de fósforo e densidade de semeadura sobre a produção e qualidade de espigas de milho verde cultivado em solo arenoso, no Município de Cassilândia/MS. Os tratamentos foram constituídos por três densidades de semeadura (30, 50 e 70 mil plantas ha 1) e cinco doses de fósforo (0, 30, 60, 90 e 120 kg ha -1 de P2O5) aplicado na semeadura. Os parâmetros avaliados foram altura de inserção de espiga, altura de planta, peso de espiga com palha e peso de espiga sem palha. Para a
avaliação de altura de inserção de espiga não se obteve diferença significativas entre os tratamentos, porem as doses de 60 e 90kg de P2O5/ há -1 apresentaram melhores alturas,
quando comparados com as doses de 0, 30 e 120kg de P2O5 por ha -1 , igualmente para o peso de espiga com e sem palha, enquanto que para altura de planta os tratamentos com
50 e 70 mil plantas/há -1 obteve-se plantas de menor tamanho quando comparadas com o tratamento de 30 mil plantas por há
-1. Assim conclui-se que o uso de 50 e 70 mil plantas /há
1 é prejudicial ao desenvolvimento da cultura do milho referente a altura de planta.

Palavras chave: Adubação. Inserção de espiga. Altura de Planta

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.