EFEITO DA GRANULOMETRIA DO MILHO SOBRE A PRODUÇÃO E COMPOSIÇÃO DE DEJETOS DE POEDEIRAS SEMIPESADAS

Flavia Kleszcz da Cruz, Elis Regina de Moraes Garcia

Resumo


O experimento foi conduzido na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul com o objetivo de avaliar o efeito de diferentes graus de moagem do milho sobre a quantificação e
composição dos dejetos de poedeiras semipesadas. As diferentes granulometrias foram obtidas por meio da moagem do milho em peneiras de diferentes diâmetros (2,0; 4,0; 6,0 e
8,0mm) em um moinho do tipo martelo. Adotou-se um delineamento experimental inteiramente casualizado com quatro tratamentos, quatro repetições e oito aves por unidade experimental. Quantificou-se a produção de dejeto, realizando a pesagem três vezes por semana das excretas produzidas. As variáveis analisadas foram: peso seco (kg), teor de matéria seca (% e kg), água (kg) e fósforo (g/100g e kg/dia) nos dejetos, e coeficiente de
resíduo (Cr), sendo considerada na determinação dessa variável a quantidade total de esterco produzido (base seca) em relação à produção de ovos em massa (kg). Para a determinação da produção de dejeto foram retirados ovos quebrados, penas e ração. Os dados foram submetidos à análise de regressão polinomial. Neste ensaio não houve diferença significativa (P0,05) entre os tratamentos. Entretanto, as médias referentes aos teores fósforo (g/100g) foram influenciadas (P0,05) pelos diferentes tratamentos. Contudo, observou-se que a moagem do milho nas peneiras de 4 e 6 mm resultou em maiores e menores quantidades de fósforo (P) (g/100g) nos dejetos, respectivamente, evidenciando que as diferentes
granulometrias obtidas podem influenciar sobre a excreção desse elemento e contribuir de
forma negativa sobre a poluição ambiental.


Palavras-chave: coeficiente de resíduo, DGM, fósforo, matéria seca.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.