DOSES E FORMAS DE APLICAÇÃO DE NITROGÊNIO NA CULTURA DO MILHO

Danilo da Silva, Hamilton Kikuti

Resumo


O milho é uma cultura que remove grandes quantidades de nitrogênio do solo. As plantas de milho apresentam maior demanda por N a partir do estádio de 4-5 folhas expandidas. O suprimento insuficiente de N nesse período pode reduzir a diferenciação do número de óvulos nos primórdios da espiga, e com isso afetar negativamente a produtividade de grãos. O experimento foi realizado na safra de verão de 2008-2009 na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) - Unidade Universitária de Cassilândia, MS. O objetivo foi avaliar as características da planta e os componentes de rendimento da cultura do milho em função de diferentes doses (0, 40, 80, 120 e 160 Kg.ha
-1 de N) e formas de aplicação (incorporado e superficial). Com relação ao índice de clorofila nas folhas, concluiu-se que a dose de 120 kg.ha-1 de N incorporado foi a mais responsiva, enquanto para o comprimento de espiga, a dose de 80 kg.ha-1 de N incorporado foi a que se obteve melhor resultado. Assim, pode-se concluir que a incorporação de N apresenta melhor resultado quando comparado com a aplicação superficial, e com doses entre 80 e 120 kg.ha-1
de N, obtém-se melhores características na planta.

Palavras-chave: Zea mays L. Uréia. Incorporado. Superficial.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.