CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO DE TRÊS VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR EM FUNÇÃO DE ADUBAÇÕES COM POLÍMEROS

Mailson E. Geromel, Hamilton Kikuti

Resumo


A pesquisa foi realizada na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, Unidade de Cassilândia, em solo classificado como Latossolo Vermelho Amarelo, textura arenosa. Objetivou-se avaliar o crescimento e desenvolvimento de variedades de cana-de-açúcar em função da adubação nitrogenada e potássica com e sem polímeros, por ocasião da implantação da cultura. As parcelas foram constituídas por quatro fileiras de plantas com sete metros de comprimento e espaçadas de um 1,5 m entre fileiras. O delineamento experimental utilizado foi blocos casualizados, esquema fatorial 3x2 envolvendo três
variedades de cana-de-açúcar RB867515, RB72454 e RB867515 (mudas de ambiente diferente) e adubações N P K (30-180-80 sem revestimento de polímeros; 15-180-40 com
revestimento de polímeros). A fonte de P2O5 utilizada foi o super fosfato simples sem revestimento com polímeros. As avaliações foram a cada 20 dias após o plantio, tais como,
viabilidade de gemas, número de perfilho, altura de plantas e determinação da massa da parte aérea fresca e seca. Apesar da redução de 50% nas adubações nitrogenada e potássica quando revestidas com polímeros, ainda foi possível detectar diferença quando avaliada a altura de plantas e número de perfilhos. Considerando o crescimento e desenvolvimento de variedades de cana-de-açúcar, nas demais características avaliadas não foram observadas
diferenças entre as adubações, ou seja, foi possível com o revestimento de N e K reduzir a utilização destas adubações pela metade como recomendado pela empresa fabricante. O comportamento das variedades de cana-de-açúcar foi semelhante em função das adubações revestidas ou não com polímeros.

Palavras-chave: Saccharum. Nutrição. Plantio. Cana-planta.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.