CICLO DE MUDA E DESENVOLVIMENTO LARVAL DO CAMARÃO MACROBRACHIUM AMAZONICUM EM LABORATÓRIO

Letícia Emiliani Fantini, Liliam Arruda Hayd

Resumo


A espécie Macrobrachium amazonicum apresenta grande potencial para cultivo comercial, tendo grande aceitação nos mercados consumidores. Este trabalho descreveu o ciclo de muda nos estágios iniciais e o desenvolvimento larval em M. amazonicum. O experimento foi conduzido no Laboratório de Carcinicultura da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, Unidade Universitária de Aquidauana- UUA e constituiu de duas etapas. Na etapa 1 as larvas foram mantidas em cultivo individual com temperatura ao redor de 28oC, salinidade em 0‰, e alimentadas ad libitum com náuplios recém-eclodidos de Artêmia no início da manhã. Foram identificados o estágio larval e estágio do ciclo de muda. O ciclo de muda é composto por três fases: A-C (pós-muda-intermuda), D (pré-muda) e E (ecdise). As larvas presentaram
cutícula fina e estrutura esponjosa, epiderme fina com espaço lacunar reduzido. Os animais recentemente mudados são fracos, vulneráveis à predação, apresentando recusa de alimento e movimentos lentos. Na etapa 2 as larvas foram alimentadas ad libitum, a partir do segundo estágio larval no início da manhã. Os animais foram cultivados em água a 1‰ de salinidade e foram observadas diariamente as mudanças morfológicas ocorrida em cada estágio larval. Os parâmetros de qualidade de água, pH, temperatura e condutividade elétrica, monitorados diariamente, estavam adequados ao desenvolvimento das larvas de M. amazonicum. O
desenvolvimento larval do M. amazonicum é do tipo prolongado e requer manejo habilidoso. O estudo apresentou de 14 a 17 estágios larvais em 37 a 42 dias de cultivo, totalizando 5 indivíduos que completaram a metamorfose completa.

Palavras-chave: Camarão do Pantanal, Camarão de água doce, exúvia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.