AVALIAÇÃO AGRONÔMICA DA LEGUMINOSA CRATILIA ADUBADA COM DIFERENTES NÍVEIS DE FÓSFORO

Maíza Leopoldina Longo, Marcus Vinícius Morais de Oliveira

Resumo


Este ensaio teve como objetivo avaliar a influência da adubação fosfatada sobre a produção de biomassa e a composição bromatológica da leguminosa cratilia
(Cratylia argentea), nas condições edafoclimáticas de Aquidauana-MS. As forrageiras foram cultivadas em parcelas experimentais (5x5m2) e receberam quatro níveis de adubação fosfatada (60, 80, 100 e 120 kg de P2O5/ha, o que corresponde a 300, 400, 500 e 600 kg/ha de Superfosfato Simples, respectivamente). A determinação da biomassa e a composição bromatológica da forrageira foram efetuadas no período de primavera-verão. As plantas sofreram um corte de uniformização no final do mês de setembro, e posteriormente foram cortadas nos meses de novembro, janeiro e março, período correspondente à época das águas. Após o corte, a forragem de cada parcela foi pesada e submetida à separação morfológica, seguido por pesagem de cada fração e armazenamento de amostras em freezer, para realização das análises de matéria seca e
teores de minerais. A leguminosa apresentou de 95,2% de partes consideradas comestíveis (folhas e caule com menos de 1 centímetro de diâmetro), sendo portanto
interessante para a alimentação de ruminantes. A produção de biomassa estimada por hectare foi 4997,69, 4859,16, 4411,61, 4333,42 kg para os tratamentos 60, 80, 100 e
120 kg de P2O5/ha, respectivamente. Em média as plantas apresentaram teores de minerais de 2,96%. Como não foi observado estatisticamente efeito da adubação
fosfatada nas variáveis analisadas, conclui-se que as doses de fósforo utilizadas não foram suficientes para influenciar a produção de biomassa e o teor de minerais da cratília quando cultivada na região do Alto Pantanal Sul-Mato-Grossense.

Palavras-chaves: adubação, banco de proteína, forrageira

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.