ANÁLISE DE BACTÉRIAS COLIFORMES TOTAIS E COLIFORMES FECAIS EM ÁGUAS UTILIZADAS PARA DESSEDENTAÇÃO ANIMAL

Joice Cristina Carvalho de Souza, Nanci Cappi

Resumo


Objetivou-se avaliar a qualidade da água de um poço, dois reservatórios, do córrego Fundo e de seis bebedouros utilizados para a dessedentação animal na Fazenda UEMS-Unidade Universitária de Aquidauana, através de análises sazonais (I/08; V/09; I/09) de bactérias coliformes, pH, alcalinidade e condutividade elétrica (CE). As análises de coliformes foram realizadas segundo o método dos Tubos Múltiplos e os resultados expressos em Número Mais
Provável de coliformes totais e fecais (NMP/ml); a alcalinidade: método titulométrico, pH e CE: eletrométrico. O NMP/mL de bactérias apresentou-se reduzido no poço e reservatórios e elevado nos bebedouros em uma ou mais estação enquanto a alcalinidade, o pH e a CE
apresentaram-se elevadas em todos os pontos, com exceção do P10. O NMP/mL de coliformes e a CE não sofreu influência da sazonalidade enquanto a alcalinidade e o pH apresentaram-se reduzidos no inverno e elevados no verão. Logo, as águas dos bebedouros estão com padrão aceitável (classe 3) pela legislação vigente para dessedentação animal com exceção dos bebedouros P1 e P6 (I/09) para o NMP/mL de bactérias e para pH o P4 (V/09), P5 e P6 (I/09). A contaminação pode ter origem na ausência de limpeza dos bebedouros na água de abastecimento do córrego (P10) e do poço (P7) que não passa por nenhum tratamento prévio antes de ser distribuída para os bebedouros. A falta de limpeza periódica dos reservatórios e dos bebedouros facilita a proliferação de microorganismos que pode acarretar
em doenças para os animais.

Palavra-chave: Bebedouros; Contaminação; Sazonalidade

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.