ESTUDO QUÍMICO E BIOLÓGICO DA FRAÇÃO HEXÂNICA DAS FOLHAS DA ESPÉCIE PIPER AMALAGO

Luciano Stevanin, Jonas da Silva Mota

Resumo


Acreditar que as plantas medicinais são totalmente benéficas e seguras por serem naturais pode ser muito perigoso. Por isso, há a importância de se conhecer os
princípios ativos das plantas. Quando não se dispõe de estudos químicos sobre as espécies de interesse, a análise fitoquímica e biológica preliminar pode indicar o grupo
de metabólitos secundários relevante. Extratos e substâncias isoladas de espécies Piper têm mostrado-se com potencial atividade antiinflamatória, antioxidante, anti-coagulante,
antimicrobiana e antifúngica. O objetivo deste trabalho é avaliar a fração hexânica das folhas, quanto às atividades de antioxidante e tripanocida. Isolar e identificar e
determinar as estruturas dos metabólitos secundários e avaliar as atividades antioxidante e tripanocida dos compostos isolados. As folhas foram coletadas em Dourados/MS,
foram secas e pulverizadas com auxílio de um moinho de facas e submetido à extração com hexano por maceração. No extrato bruto foram realizados testes antioxidante,
toxicidade Artemia, tripanocidas e atividade antimicrobiana. O extrato foi fracionado em coluna cromatográfica, purificado em placas cromatográficas preparativas, aplicados no
HPLC e remetidos para RMN. Os testes DPPH apresentaram PI de 80 %, 44% e 8%. O teste toxicidade Artemia apresentou uma alta toxidade do extrato. Os testes tripanocidas
indicaram moderada atividade e o de susceptividade antimicrobiana é positivo apenas para bactéria Escherichia coli, mas esta atividade é baixa. O trabalho fitoquímico
resultou no isolamento de 1 substância e na identificação de duas em mistura.

Palavras chave: Avaliação; atividade antioxidante; tripanocida .

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.