ESTUDO QUÍMICO DAS RAÍZES DA JATROPHA GOSSYPIFOLIA L.

Cristina de Lourdes Marangueli, Sandro Minguzzi

Resumo


Estudo químico da raiz da Jatropha gossypifolia L, coletada em Naviraí, Mato Grosso do Sul, espécie pertencente à família Euphorbiacea, conhecida popularmente por várias denominações sendo mais comum como pinhão-roxo, e regionalmente conhecida como minâncora do campo. A literatura etnofarmacológica registra o uso das folhas para tratamento de hipertensão e reumatismo e diabetes, enquanto que as raízes apresentam propriedades
diuréticas Esta indicações são, todavia, feitas com base somente na tradição popular, sem comprovação científica. O extrato alcoólico das raízes mostrou-se ativo, in vitro, ativo contra células de carcinoma da nasofaringe e, in vivo, contra quatro tipos de tumores experimentais. Uma das substâncias isoladas da raiz, a Jatrofona, apresenta atividade citotóxica e inibidora do crescimento tumoral. Neste estudo foi possível através de técnicas cromatográficas isolar das raízes do pinhão-roxo, um composto com características de açúcar e re-isolar a Jatrofona (GOULART, 1993 ; KUPCHAN, 1970 e 1976 e MENEZES, 1992). Foram realizados testes
de atividade antioxidante com as frações acetato de etila, n-butanólica, clorofórmica e hexânica obtidas da raiz da Jatropha gossypifolia L, sendo que as frações acetato de etila e clorofórmica apresentaram atividade antioxidante de até 88,6 %.

Palavras – chave: Pião roxo; Euphorbiacea; planta medicinal.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.