O ÁCIDO E O IRÔNICO: O REALISMO PSICOLÓGICO INAUGURADO NA OBRA “MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS”, DE MACHADO DE ASSIS

Silvana Tobias Oliveira, Patrícia Alves Ferreira, Ana Claudia Duarte Mendes

Resumo


Este trabalho visa apresentar um relato de experiência desenvolvida no ano de 2015, do subprojeto Letras/ Inglês, do PIBID da Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul- Unidade de Dourados. A sequência didática, teve como proposta trabalhar o realismo psicológico inaugurado na obra “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis,no sentido de propiciar aos alunos a ampliação de conhecimentos, de mundo e linguísticos, por meio do aprendizado da Literatura, bem como a gênese histórica e o contexto cultural do autor e da obra, além dos princípios estéticos norteadores. A partir dessa perspectiva, levamos em consideração os interesses e necessidades dos jovens estudantes do Ensino Médio, visando o estímulo pelo saber da estética literária como um meio de entender as linguagens que darão suporte e, aos problemas que terão que solucionar em seu cotidiano. Dessa forma, a proposta didática visava apresentar o estudo da obra literária pelo viés da leitura nas “entrelinhas”, com objetivo de analisar a liguagem como um mecanismo ideológico e de construção de uma prática social. Assim, os estudantes serão capazes de desenvolver habilidades para adquirirem, enquanto sujeitos em formação, o que é do ler, interpretar, escrever e oralizar de forma integrada, por meio do gênero cientifico proposto como atividade em sala. Isto se justifica pelo fato da constatação da priorização de um estudo literário não apenas enquanto movimento estético, mas enquanto experiência de identificar o retrato de uma sociedade.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.